São Paulo Apóstolo

São Paulo Apóstolo foi declarado Patrono Celestial do Movimento de
Cursilho de Cristandade pelo saudoso Papa Paulo VI, na Ultreya
Nacional realizada em Tarragona, por ocasião do ano Santo Paulino no
dia 07 de julho de 1963, a pedido dos cursilhistas.
Paulo é uma das figuras mais importantes do Novo Testamento. O Livro
dos Atos dos Apóstolos e as Cartas que escreveu nos revelam sua vida, e
a experiência de Deus processada no seu existir. São Paulo foi o
primeiro inculturador do Evangelho.

Nasceu na cidade de Tarso, na Cilícia, e foi criado na mais genuína
tradição judaica. Ainda muito jovem mudou-se para Jerusalém, e foi um
grande estudioso de sua religião. Participava do grupo dos fariseus, e
extremamente zeloso no cumprimento da lei judaica, perseguiu cristãos.
Passa por um longo e fascinante processo de conversão que culmina com
um não menos fascinante assumir de sua missão.

O novo na sua ação evangelizadora é que saí do círculo dos judeus e se
volta aos pagãos. Põe-se a caminho, a anunciar o Evangelho em
realidades diferentes daquelas em que Jesus de Nazaré viveu. Torna-se
assim o primeiro grande inculturador do Evangelho. Falava de forma
diferente a judeus e prosélitos (At 13,16-41) aos camponeses pagãos (At
14,15-17) ou aos intelectuais de Atenas (At 17,21-31). Faz o cristianismo
passar de uma cultura para outra: da cultura semita para a grecoromana.
Enfrentou sérias dificuldades, pois pelo fato de não ter conhecido nem
andado junto com Jesus, tentaram impedi-lo de evangelizar, dizendo que
não era apóstolo. Porém, nada disso o afasta do que tinha se tornado
razão de sua vida: “Anunciar o Evangelho não é um título de honra para
mim, pelo contrário, é uma necessidade que me foi imposta. Aí de mim se
não anunciar o Evangelho” (1Cor 9,17).

Fez três grandes viagens. Semeou comunidades por onde passou e isso
não o impediu de se sustentar com seu trabalho. Foi um trabalhador que
também evangelizava.

Mirar-se em Paulo é um desafio para nós. Evangelizar, enquanto
trabalhador ou trabalhadora é um ideal. O mundo urbano, os nossos
ambientes estão ávidos de esperança e de coerência.
Paulo é um grande exemplo para toda Igreja, e em especial para o
Movimento de Cursilhos. Inculturar a fé significa respeitar as diferentes
culturas, entendendo que o diferente enriquece, e que na diversidade
também se serve o Senhor, eis a questão de nosso tempo!

Siga-nos: