Nas crises é que se conhecem os verdadeiros heróis

É justamente nos momentos de crises, nos momentos difíceis, nas situações desafiadoras que emergem e que conhecemos os verdadeiros heróis. Não está sendo diferente nessa atual situação em que vive a nossa sociedade, a da pandemia da Covid 19.

O que estamos percebendo? Percebemos que há muitas pessoas corajosas, criativas, empreendedoras e valentes que, mesmo com cuidado, estão entrando em campo. Agem, decidem, tomam à frente em todos os campos: na saúde, na economia, na educação, na comunicação social, na família; por outro lado, vemos os que sumiram, buscaram o conforto, emudeceram por cuidado com a vida ou por outros motivos.

Vivemos momentos críticos e são precisamente nesses momentos que se revelam os verdadeiros líderes, e, porque não dizer, os verdadeiros heróis! É hora de reconhecer, de homenagear e mais, de aprender com essas extraordinárias lideranças que nos dão um testemunho de grandeza, de desprendimento, de amor ao próximo, algumas, sem mesmo sair de casa, outras e, é a maioria, expondo a própria vida.

Como não nos encantar com essas pessoas boas que pensam muito mais nos outros, na vida do próximo e que se revelam verdadeiros bons samaritanos? Como não admirar esses seres humanos diferenciados, pelas suas atitudes de solidariedade, de altruísmo e de tanta dedicação e amor? Não posso ficar calado diante de tantas manifestações de amor e de solidariedade que tenho presenciado, por isso chamo-lhes a atenção.

Junto-me a todas essas pessoas, e não são poucas, que de forma séria, desprendida e corajosa, arregaçam as mangas e se inscrevem no grupo dos portadores de esperança, de fé e, sobretudo, no grupo dos que lutam, para que sejamos todos vitoriosos o quanto antes e voltemos à normalidade. Voltemos com outra fisionomia, com outra postura e, especialmente, com outra consciência e visão de mundo e de sociedade.

Não quero ser do time daqueles que preferem priorizar as desgraças, o pânico e a tragédia e não dizer uma palavra de estímulo e de apoio a esses maravilhosos heróis de nossas comunidades. São eles, com certeza, que estão fazendo a diferença neste momento, na nossa dolorida sociedade. A eles o nosso agradecimento!

Confesso que para mim essa pandemia, além, é claro, do sofrimento do isolamento social e do sentimento de orfandade, foi uma grande escola, uma especial oportunidade de revisão de vida, de rever conceitos e atitudes e reorganizar a minha vida interior. Tem sido difícil? Sim, mas não posso negar que tenho aprendido muito, não apenas o que fazer, mas o que não cultivar, e o que não conservar e guardar. Em síntese, aprendi o que realmente deve ser mudado e priorizado.

Desejo sair dessa pandemia melhor, mais sensível e mais compassivo! O mesmo desejo que ocorra com a sociedade.

Pe. Xiko

Siga-nos: