Novos tempos virão

Espero ver novos tempos! No momento estou vivendo e experimentando algo inédito, jamais visto e sequer possível ao meu imaginário em  80 anos de minha vida. Espero ver novos tempos com novas atitudes e uma  nova cultura e, consequentemente, uma nova postura de todos nós.

Espero ver novos tempos tendo a generosidade e a solidariedade como formas de viver e de se organizar, sendo mais que meramente emergenciais. Espero ver novos tempos em que todas as pessoas, indiferente de idade, culturas, etnias, religiões, credos ou posição social, sejam respeitadas, tenham acesso aos bens materiais, ao lazer, ao esporte e, especialmente, à alimentação, à saúde e à educação.

Espero ver novos tempos nesta terra onde os pais, os avós e os amigos não precisem negar ou omitir  o abraço e o aperto de mão, que não precisemos andar de máscaras nem no rosto, nem na alma com medo de mostrar o rosto ou de revelar sua essência.

Sim, quero viver novos tempos em que o cuidado com a vida e a saúde passe a ser um valor prioritário e permanente para que as famílias não necessitem de reclusão obrigatória, porque a responsabilidade se antecipou às doenças; para que a alegria seja muito maior que as dores e que a vida seja o assunto principal de nossos diálogos e não a dor e a morte como nesse tempo.

Quero viver novos tempos para ver todas as autoridades do planeta e dos países buscarem sempre e, acima de tudo, o bem comum para que os heróis e heroínas não sejam apenas alguns, como agora, mas que todos nos sintamos heróis na construção de uma nova sociedade justa e fraterna, sem discriminações.

Quero ver novos tempos em que os templos não necessitem impedir seus fiéis de expressar sua crença e sua fé e poder ver a sagrada praça de São Pedro lotada de fiéis e admiradores rezando e não vazia e silenciosa. E que não seja mais necessário contemplar uma figura vestida de branco – ( sem lágrimas nos olhos, mas lagrimejando o coração) – atravessar essa praça, sozinho como se a humanidade tivesse morrido. Quero ver novos tempos onde as famílias, as comunidades voltem a se encontrar felizes no abraço, nas festas familiares, nos encontros com os amigos, nas celebrações religiosas.

Sim, quero ver novos tempos em que a paz reine em todas dimensões, mas sei que para isso, faz-se necessário mudar a minha, a nossa mentalidade, a nossa cultura individualista e egoísta para uma cultura efetivamente solidária, misericordiosa e fraterna.

Enfim, quero ver novos tempos para todos nós, para toda a humanidade. Quem sabe, este tempo que estamos vivendo agora sirva para refletirmos e repensarmos nossas ações e nosso jeito de ver e preservar o mundo, amando-nos mais uns aos outros. Que Deus nos permita essa possibilidade e que nos proteja e abençoe. Amém!

Pe. Xiko

Siga-nos: