A religiosa colombiana sequestrada em 2017 por jihadistas no Mali e libertada em 9 de outubro passado contou à ao Vatican News a sua história: como católica e freira fui discriminada, mas os sequestradores me respeitaram. Eu senti o apoio das orações de todos e aos que trabalharam para me trazer de volta à liberdade
Siga-nos: