Dia 13 de Abril – Terça-feira

II SEMANA DA PÁSCOA
(Branco – Ofício do dia)


Antífona de Entrada

Alegremo-nos, exultemos e demos glória a Deus, porque o Senhor todo-poderoso tomou posse do seu reino, aleluia! (Ap 19,7.6)


Oração do dia

Fazei-nos, ó Deus todo-poderoso, proclamar o poder de Cristo ressuscitado, e, tendo recebido as primícias dos seus dons, consigamos possuí-los em plenitude. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Leitura (Atos 4,32-37)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

4 32 A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum.
33 Com grande coragem os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles era grande a graça.
34 Nem havia entre eles nenhum necessitado, porque todos os que possuíam terras e casas vendiam-nas,
35 e traziam o preço do que tinham vendido e depositavam-no aos pés dos apóstolos. Repartia-se então a cada um deles conforme a sua necessidade.
36 Assim José (a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé que quer dizer Filho da Consolação), levita natural de Chipre, possuía um campo.
37 Vendeu-o e trouxe o valor dele e depositou aos pés dos apóstolos.
Palavra do Senhor.


Salmo Responsorial 92/93

Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

Deus é rei e se vestiu de majestade,
revestiu-se de poder e de esplendor!

Vós firmastes o universo inabalável,
vós firmastes vosso trono desde a origem,
desde sempre, ó Senhor, vós existis!

Verdadeiros são os vossos testemunhos,
refulge a santidade em vossa casa
pelos séculos dos séculos, Senhor!


Evangelho (João 3,7-15)

Aleluia, aleluia, aleluia.

O Filho do homem há de ser levantado, para que quem crer possua a vida eterna (Jo 3,14s).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

3 7 Disse Jesus a Nicodemos: “Não te maravilhes de que eu te tenha dito: Necessário vos é nascer de novo.
8 O vento sopra onde quer; ouves-lhe o ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece com aquele que nasceu do Espírito”.
9 Replicou Nicodemos: “Como se pode fazer isso?”
10 Disse Jesus: “És doutor em Israel e ignoras estas coisas!
11 Em verdade, em verdade te digo: dizemos o que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas não recebeis o nosso testemunho.
12 Se vos tenho falado das coisas terrenas e não me credes, como crereis se vos falar das celestiais?
13 Ninguém subiu ao céu senão aquele que desceu do céu, o Filho do Homem que está no céu.
14 Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem,
15 para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna”.
Palavra da Salvação.


Comentário ao Evangelho

SOB O SOPRO DO ESPÍRITO

Ao exortar Nicodemos sobre a necessidade de nascer de novo, Jesus apontou o ação do Espírito como dinamismo deste renascimento. É o Espírito quem leva a pessoa a superar os esquemas da vida, segundo a carne, e a assumir um projeto de vida centrado na vontade de Deus. Arranca-a das malhas do egoísmo, e a coloca no terreno firme do amor. Abre-lhe os horizontes, apresentando-lhe a carência dos pobres e sofredores como campo de serviço. Liberta-a dos interesses mesquinhos, levando-a a confrontar-se com ideais elevados, realmente capazes de trazer felicidade e realização pessoal.

O sopro incontrolável do vento serviu de comparação para revelar a liberdade de ação de quem é movido pelo Espírito. Como não se pode segurar, determinar o rumo, exercer controle sobre o vento, o mesmo se dá com a pessoa que nasce do Espírito. Sua capacidade de fazer o bem torna-se ilimitada. Nada a detém quando se trata de demonstrar, com gestos concretos, o amor ao semelhante. O amor que traz dentro de si permite-lhe expressar, de maneira criativa, sua solidariedade. Tudo, em sua vida, torna-se novo, pois o Espírito não lhe permite cair na rotina e na inatividade, características de quem perdeu a razão de viver.

A ressurreição de Jesus é um convite a nascer de novo. O Ressuscitado é quem nos concede o Espírito necessário para este renascer.

Oração

Espírito de renovação, que o nascimento pelo Espírito faça-me superar tudo o que é velho dentro de mim, e experimentar a liberdade de servir.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês).


Sobre as Oferendas

Concedei, ó Deus, que sempre nos alegremos por estes mistérios pascais, para que nos renovem constantemente e sejam fonte de eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.


Antífona da Comunhão

Era preciso que Cristo padecesse e ressurgisse dos mortos para entrar na sua glória, aleluia! (Lc 24,46.26)


Depois da Comunhão

Ouvi, ó Deus, as nossas preces, para que o intercâmbio de dons entre o céu e a terra, trazendo-nos a redenção, seja um auxílio para a vida presente e nos conquiste a alegria eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

Siga-nos: