Louvado sejais, Senhor!

Louvado sejais, Senhor,
pela maravilhosa obra da criação da qual somos membros e partícipes;
pela mãe terra que nos brinda com tantos e tão saborosos frutos;
pelo astro maior, o sol, que nos visita, fortalecendo a vida, afugentando a noite e aquecendo gratuitamente a natureza;
pelo ar que nos oxigena e que mantém e renova nossa preciosa vida;
pela indispensável e reconfortadora água sem a qual não vivemos!

Louvado sejais, Senhor,
pelo trabalho, fonte de realização, de dignificação e garantia de nossa subsistência, dom, responsabilidade e privilégio;
pelas abundantes e variadas semeaduras que alimentam as esperanças do pão em nossas mesas;
pelas chuvas, promessa de abundância e de vida nova;
pelas esperadas colheitas, anúncio de vida, garantia de prosperidade;
pelas flores, prenúncio dos frutos, vestes de gala da natureza, carícias do criador;
pelos frutos, tornados pão dos famintos, sustento de todas as vossas criaturas;
pelo alimento fundamental à vida, fruto da inteligência e do suor do rosto humano.

Louvado sejais, Senhor,
pelo tempo que nos permite separar a noite do dia, que nos possibilita programarmo-nos, que nos situa no aqui e agora e que nos põe no ritmo da história;
pelos rostos humanos que falam de vossa presença, nos quais Vos identificamos, reconhecemos e amamos;

pelo sagrado espaço do lar, ambiente de intimidade, de aconchego, refúgio de qualquer hora e de todas as horas;
pelo amor, pela fidelidade e pela incansável dedicação dos pais;
pelo dom e pela riqueza dos filhos, que sempre renovam as esperanças;
pelo testemunho, pela sabedoria e pela fortaleza de nossos anciãos;
pela rebeldia, e ao mesmo tempo, pelo entusiasmo e vigor da juventude;
pela inocência e pelo encanto das crianças.

Louvado sejais, Senhor,
pela ciência e pela tecnologia, instrumentos que aperfeiçoam e facilitam a vida humana;
pela arte que nos toca a alma e nos coloca em harmonia com vossa presença e com os outros;
pelo dom e pelo privilégio da fé que nos faz sentir o invisível, tocar o mistério, adentrar ao infinito;

pelo maravilhoso poder do amor, força transformadora, centelha divina que supera todos os obstáculos e nos dá a experiência do transcendente;
pelo imã da esperança que nos impulsiona a caminhar todos os dias, passo a passo, apesar dos desafios;
pela graça da paz que gera em nossa alma harmonia, bem estar, serenidade e permite que a nossa alma descanse;
pelos tesouros indispensáveis de nossas vidas, os amigos, sua gratuidade, confiança, paciência, tolerância, misericórdia e fidelidade.
pela incansável dedicação dos profissionais que atuaram durante a pandemia e, em especial, pelos da saúde;
por todas as campanhas e gestos de solidariedade humana.

Louvado sejais, Senhor,
pelo novo ano, que seja promissor, que predomine a vida sobre a morte, que vença a união e a fraternidade sobre a discórdia e a violência.

Louvado sejais, Senhor!
Amém!

Pe. Xiko

Advento: um caminho para o Natal

O advento é um caminho que nos desafia a renovar a esperança. A desejar um mundo novo. A buscar um encontro, não porém qualquer encontro, mas um surpreendente e transformador. Para isso, somos convidados a percorrer um caminho que supõe cuidados permanentes, atenção redobrada e vigilância serena.

Para que precisamos destes cuidados? Para não perder de vista os que também andam no mesmo caminho; para não andar apressado demais  e atropelar algum peregrino mais lento, ou não andar  tão lento que percamos a companhia dos peregrinos da esperança; para não esquecer as condições e as  exigências  essenciais de quem o escolhe, seja a simplicidade, o desprendimento, a alegria, a paciência, a persistência, seja o desejo do encontro, da solidariedade e da docilidade de coração.

O advento é, sim, um caminho a percorrer, mas com espírito de peregrinos, não porém  de andarilhos, pois sabemos para onde vamos, sabemos a direção e especialmente sabemos onde queremos chegar.

Você quer percorrer esse caminho? Então, juntemo-nos! Façamos a caravana da esperança, sem pressa, sem tristeza. Se você já partiu, vá em frente! Se você ainda não partiu, comece hoje, agora, pois é o tempo propício. Esqueça, ao menos, por uns dias, as preocupações da pandemia, ou as leve na mochila para depositá-las ao chegar no fim do caminho. Ah, não deixe de convidar seus amigos, ou  peça para o acompanharem virtualmente.

Anuncie que nesse caminho pode-se andar sem máscaras, sem álcool em gel e sem necessidade de distanciamento social, pois é o caminho da fé, da interioridade.

Por fim, não se esqueça de duas condições especiais: carregue muita alegria e generosidade aliadas a muita curiosidade.

Boa peregrinação para você, para nós, assim estaremos nos preparando para um Santo Natal.

Pe. Xiko

Siga-nos: