Vale a pena alimentar a Esperança

Com seus 117 anos, nosso querido hospital de Caridade Dr. Astrogildo de Azevedo conta hoje com uma equipe de mais de 1600 servidores, incluindo médicos, enfermeiros, técnicos e demais servidores, desde a portaria até a provedoria. Nestes tempos de pandemia, creio que um dos serviços mais estressantes seja este de servir num nosocômio da dimensão do Caridade cuja preocupação primeira é a vida.

A Provedoria não esqueceu que seus funcionários são feitos de carne, ossos, sangue e sentimentos, que como todos nós, têm seus medos,  suas angústias e preocupações e, movidos pelo desejo de aliviar um pouco, pelo menos, a tensão natural dos heroicos funcionários, iniciamos no mês de agosto uma visita personificada em cada unidade e setor para levar uma palavra de esperança e de gratidão pelo esforço, dedicação e coragem desses homens e mulheres que trabalham atrás dos bastidores e que hoje têm como agravante a necessidade de esconder o sorriso atrás de uma máscara e privar-se do contato, como o aperto de mão ou de um gesto de carinho.

Levados por esse sentimento, coube-me a gratificante missão de, em nome da Provedoria, levar essa palavra de esperança e de coragem neste momento de tempestade em que todos nós estamos atravessando. Não podíamos deixar de dizer-lhes que estamos, sim, em tempestade, mas não à deriva, muito menos perdidos; estamos no caminho certo e na direção do porto, não sambemos quanto ainda durarão os ventos e a tempestade, mas acreditamos que tudo isso vai passar e chegaremos à margem, pois não estamos sozinhos nessa travessia tumultuada, temos o Senhor da vida conosco e contamos com a solidariedade de cada um que está ao nosso lado. E, quanto mais unidos estivermos, quanto mais juntos trabalharmos, mais fácil será a passagem e, certamente, poderemos apressar a chegada.

Fazendo uma analogia entre os funcionários e uma construção, é possível dizer que, para a construção existir há muitos tijolos que não aparecem por ficarem em baixo da terra, no entanto, são, precisamente eles que sustentam a construção e, especialmente, nesta pandemia, os funcionários são esses tijolos escondidos, fundamentais e indispensáveis para a recuperação dos pacientes.

Para mim, tem sido uma experiência única, gratificante, principalmente, ao ver os olhos dos trabalhadores da saúde brilharem de esperança, valorizados e confortados. Claro que, mais uma vez, passamos pela dura experiência de ficar devendo o sorriso aberto e o carinhoso aperto de mão, tão valorizados em nossa cultura. Constantemente vinha-me à mente: “algo tão fácil de fazer e, no entanto, de um valor inestimável”.

Saio enriquecido e com a alma em estado de graça de poder levar uma palavra de apoio, talvez neste momento, a mais necessária e talvez muito esperada.

Parabéns, Caridade, pela sua destemida equipe de servidores da vida. Deus seja louvado!

Pe. Xiko

Siga-nos: