Comentando a premiação, o cardeal alemão destacou que “o cristianismo na Alemanha e na Europa só terá futuro se trabalharmos intensamente juntos e permanecermos ecumenicamente unidos. Isto é importante e vejo o prêmio como um encorajamento”, enfatizou. “Vejo este prêmio como um sinal público do que se espera de nós e como um forte encorajamento para continuarmos no caminho ecumênico”, disse por sua vez o pastor Bedford-Strohm
Siga-nos: