“A Igreja reitera o seu compromisso com a defesa dos direitos humanos de nossos irmãos e irmãs indígenas de todo o mundo”, para que eles não sejam considerados “simplesmente uma minoria”, mas também se tornem “os principais interlocutores”, afirma o Celam.
Siga-nos: