A declaração do Conferência Episcopal Francesa esclarece que, embora a recomendação do governo continua a ser a de iniciar as assembleias litúrgicas somente a partir de 2 de junho, a liberdade de retomar a celebração da Missa e outras atividades de culto cabe aos responsáveis ​​(bispos e sacerdotes) que poderão determinar a data da retomada das Missas com a presença dos fiéis.
Siga-nos: