DECOLORES, irmãos de caminhada!

MCC: caminho de santificação.

“Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6, 36).

Caríssimas irmãs e irmãos, nossa reflexão hoje, e nesta semana, versa sobre a necessidade do podar. A poda faz parte da lei da vida! Praticamente diariamente ao nosso redor assistimos o processo de poda, na maioria das vezes por necessidade, outra vezes para embelezar a paisagem. Para que a criança cresça de forma sadia, podamos alimentos, muitas palavras,  atitudes, comportamentos. Quem de nós não sabe que para obtermos colheitas fartas de uva é essencial a poda anual das parreiras? Assim somos nós. Aliás, o próprio Jesus refere-se à necessidade da poda.

Ao longo da história de nossa vida, com certeza e por experiência, vão crescendo brotos, galhos que não darão frutos, que são atitudes, palavras, gestos, comportamentos que necessitam serem podados, pois se os deixarmos eles vão impedir nosso caminho de perfeição. A poda nunca tem por objetivo o sofrimento, a destruição, o empobrecimento, mas pelo contrário, tem por finalidade o aumento dos frutos, a vida mais abundante, mais saudável. Claro que toda poda tem seu tempo certo, porque todo o processo de poda traz embutido sofrimento, dor;  mas é necessário. A Igreja oferece tempos especiais de poda, como a quaresma, Advento. Documentos da Igreja também são instrumentos de poda, ou de confirmação. O movimento de Cursilho oferece também momentos especiais próprios para a poda. Por exemplo, as Assembleias, Nacionais, Regionais, Diocesanas. Os próprios Cursilhos, os retiros, as ultreias, as escolas são momentos que nos oferecem elementos, critérios de poda. Não tenhamos medo de podar aquilo que torna nossa vida, nossa caminhada menos evangélica e mais pesada.

Nascemos para evangelizar!

Pai nosso…

Pe. Xiko

Siga-nos: