DECOLORES, irmãos de caminhada!

MCC: caminho de santificação.

Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6, 36).

Passamos, nesta semana, para a segunda dimensão de nosso processo de conversão. O Cursilho nos propôs, junto com o encontro conosco mesmo, um encontro com Cristo, donde nasce, segundo o Documento de Aparecida, o cristão, de um encontro com o acontecimento Jesus Cristo vivo.

Realmente, nascemos não de uma grande ideia ética, ou de uma decisão de nossa vontade, mas de um encontro, e de um encontro fascinante que deu e dá um novo sentido à nossa vida, um novo horizonte à nossa existência. Mas esse encontro necessita ser alimentado, cultivado, renovado permanentemente, pois se trata de um encontro pessoal, de amizade, de amor. E sabemos que a lei do amor deve ser cultivada, exercitada. Não basta encontrar Cristo uma vez.

Assim, como não é suficiente encontrar uma pessoa uma única vez, mas necessitamos renovar esse encontro permanentemente, repetir este encontro muitas vezes, até torna-lo companheiro de caminhada. O processo de conversão ao Cristo acontece de forma progressiva e, às vezes, lenta, que exige exercício, frequência à sua escola. O processo de conversão ao Cristo consiste em entrar, no dia a dia, na dinâmica de tornarmo-nos discípulos de Jesus. Ou seja, adotar seu modo de pensar, de viver e de agir, especialmente de ser misericordioso, acolhedor e serviçal. O Encontro com o Cristo não é um ato, ou um ritual, uma devoção, mas um modo de vida, uma vida com Ele, n’Ele e para Ele. Vamos repetir: o encontro com Cristo é um programa de vida.

Nascemos para Evangelizar!

Pai nosso…

Pe. Xiko

Siga-nos: