DECOLORES, irmãos de caminhada!

MCC: caminho de santificação.

“Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc  6, 36).

Cursilho, um processo de conversão.

Em nossas reflexões semanais tratamos dos principais de temas do nosso Movimento, desde o Carisma até o quarto dia.

Nesta semana, nossa reflexão se aterá ao nosso processo de conversão. Já falamos que o Cursilho, encontro, é mais que um retiro, é um programa de vida e para toda a vida. É isso mesmo!

O Cursilho nos coloca em estado permanente de conversão, ou seja, num itinerário de mudança permanente, progressivo. A conversão é um processo de crescimento no encontro cada dia mais profundo com Cristo, onde somos convidados a exclamar como nosso patrono, São Paulo: “Já não sou eu que vivo, mas Cristo vive em mim”. Isso é o ideal, uma busca que durará toda a vida. O processo de conversão, segundo a proposta do Cursilho, envolve três dimensões: a dimensão do encontro consigo mesmo, com Cristo e com a comunidade.

A partir do Cursilho tomamos consciência que precisamos estar sempre atentos e cuidar; aperfeiçoar a nossa identidade, tornar-nos verdadeiramente nós mesmos, sermos aquilo que Deus desejou de nós. A conversão pessoal exige uma constante avaliação, revisão de nossas atitudes, nossos comportamentos e sobretudo de nossa mentalidade. Somos convidados constantemente a renovar nossa sinceridade, nossa autenticidade e nossa coerência. Perceber e aceitar nossas fraquezas e limitações, exercitar nossa humildade, simplicidade. Nunca esquecer que somos únicos e irrepetíveis, que somos obra de Deus, que somos missão no mundo. Para isso nascemos e vivemos.

Ter muito presente o que afirmou sabiamente Ortega y Gasset: “Somos nós, mais a circunstâncias em que vivemos”. E o que belamente afirmou Teilhard de Chardin: “O ser humano não é um ente material que faz uma experiência espiritual; mas, sim, o ser humano é um ente espiritual que passa por uma experiência material”.

Assim, cuidemos de nosso Eu, de nossa identidade, de nosso encontro permanente conosco mesmo, porque assim estaremos cuidando da filha e do filho de Deus, de sua obra prima.

Nascemos para Evangelizar!

Pai nosso…

Pe. Xiko

Siga-nos: