DECOLORES, irmãos de caminhada!

MCC: caminho de santificação.

Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso”.

(Lc. 6, 36)

Nesta semana trazemos como tema para nossa reflexão o folclore no Cursilho.

À primeira vista pode parecer-nos algo de pouco importância, ou até desnecessário, no entanto, o folclore desempenha um papel muito importante, no Cursilho.

 O que entendemos por folclore? Aqui entendemos como  folclore  aqueles momentos especiais, ates ou depois das mensagens, que visam ajudar a tornar mais leves e agradáveis os dias do Cursilho. O folclore não é apenas para encher, na espera do mensageiro, mas ele deveria fazer parte do conteúdo do Cursilho.

O folclore deveria fazer parte integrante de todo o conjunto do Cursilho, deveria haver uma harmonia entre as mensagens e o folclore. Por isso, não são qualquer cantos que se adaptam ao Cursilho e que deveriam ser utilizados. Os cantos devem refletir o momento que se está vivendo, deveriam ajudar e às vezes aprofundar e confirmar a mensagem. Não deveriam ser cantos sem conteúdo ou de conteúdos de outros carismas que não o Cursilho. O folclore acompanha o ritmo do Cursilho, vai crescendo e tomando mais intensidade normalmente, sem pressão ou insistência. De preferência as músicas, com suas letras, acompanham o tema das mensagens. O folclore cresce e se intensifica na medida que o Cursilho cresce. Assim como a alegria, o entusiasmo dos cursilhista vai tornando-se mais vivo e intenso, há uma necessidade normal de aumentar a intensidade do folclore.

Portanto, precisamos cuidar

 com muito carinho da escolha e da preparação do folclore, com mencionei, que haja uma sintonia e harmonia entre conteúdo das mensagens e conteúdo do folclore.

Nascemos para Evangelizar!

Pai nosso

Pe. Xiko

Siga-nos: