Caros irmãos e irmãs de caminhada

MCC: Caminho de Santificação

DECOLORES!

“Sede misericordiosos como vosso pai é misericordioso” (Lc. 6,36).

 

Falamos hoje, em nossa mensagem semanal, sobre o último pé do tripé do Cursilho: oração, formação e ação.

Lembro que o Cursilho é mais que um retiro. É, sim, um programa de vida, uma proposta de vida nova. É dentro desta perspectiva que precisamos ver o tripé como o alimento e sustento deste programa.

Recapitulando, vimos a necessidade de orar constantemente, criar uma cultura de sermos pessoas de oração – oração individual e comunitária – pois somos seres que possuem uma identidade própria única e somos seres com dimensão comunitária. Ambas indispensáveis. A Ação ou o Agir do cristão parte do “ser cristão”. Nosso agir brota do amor, de nossa identidade de filhos e filhas de Deus. Agimos porque somos constituídos sacerdotes, profetas e servidores pelo nosso batismo. Mas há vários modos de agir. Podemos agir movidos meramente pelo impulso, pela necessidade. Podemos agir por compaixão, podemos agir por descargo de consciência. Mas como cursilhistas somos convidados a agir movidos pela nossa fé, pela convicção de que a ação faz parte do nosso ser cristão.

Agimos em nome do Senhor e juntamente com o Senhor que nos enviou à messe. Agimos porque ressoa em nós o mandato: “Ide, anunciai, curai”.

“Ide e fazei…”  Nosso agir deve sempre ser expressão de nosso amor ao Cristo, consequência de nossa fé. Nosso agir começa com nossa transformação pessoal, e daí continuamos a agir pelo testemunho de nossa vida, de nossa palavra, e com atitudes concretas.

O Movimento de Cursilho propõe uma ação em nossos ambientes, ou seja, aí onde vivemos, trabalhamos, em nosso lazer, um agir permanente e transformador. Será necessário, antes da ação, sempre nos servirmos do método ver, conhecer, perceber a realidade, depois discernir quais as melhores, mais adequadas atitudes e só depois partir para a ação, se quisermos que ela seja eficaz.

O agir do Cristo deveria ser preferencialmente comunitário. Aliás, é o que nos aponta nosso carisma, em núcleos.

É bom lembrar que também aqui somos instrumentos, pois a ação transformadora sempre é do Senhor.

Nascemos para Evangelizar.

Pai nosso…

Pe. Xiko

')}

Siga-nos: