Liturgia do dia 13/10/2019

Leituras
2Rs 5,14-17
Sl 97(98),1.2-3ab.3cd-4 (R/. cf. 2b)
2Tm 2,8-13
Lc 17,11-19 (Cura de dez leprosos)

28º Domingo do Tempo Comum

Domingo

Primeira Leitura: 2Rs 5,14-17

14Desceu Naaman e mergulhou sete vezes no Jordão, segundo a palavra do homem de Deus, e sua carne se tornou limpa como a de uma criança. 15Voltou, então, com todo o seu séquito, à casa do homem de Deus. Quando chegou, apresentou-se a ele, dizendo: “Agora sei que não há Deus em toda a terra senão em Israel! Por favor, aceita um presente do teu servo”. 16Falou Eliseu, o profeta: “Pela vida de Javé, a quem sirvo! Nada aceitarei”. Embora o outro insistisse, recusou. 17E disse Naaman: “Permite, ao menos, que se dê terra a teu servo, a carga de duas mulas; porque teu servo não mais oferecerá holocausto e sacrifício a outro deus, senão a Javé.

 

Salmo: Sl 97(98),1.2-3ab.3cd-4 (R/. cf. 2b)

R.: Revelou o Senhor o seu auxílio, sua justiça aos povos!

1Entoai ao Senhor cântico novo, que ele fez maravilhas! Sua mão poderosa e braço santo valeram-lhe a vitória.

2Revelou o Senhor o seu auxílio, sua justiça aos povos. 3aDe seu fiel amor ele lembrou-se

3cdOs extremos da terra contemplaram nosso Deus a salvar-nos. 4Aclamai o Senhor, ó terra inteira, com cânticos e música!

 

Segunda Leitura: 2Tm 2,8-13

8Lembra-te de Jesus Cristo, descendente de Davi, que ressuscitou dentre os mortos segundo o Evangelho que anuncio. 9Por causa do Evangelho até estou acorrentado como se fosse um malfeitor. Mas a palavra de Deus não está acorrentada. 10Por causa do Evangelho estou suportando tudo, e para que também os escolhidos de Deus consigam a salvação em Cristo Jesus com a glória eterna. 11O que vou dizer é um ensinamento autêntico: Se morrermos com ele, também viveremos com ele. 12Se nos mantivermos firmes, também reinaremos com ele. Se nós o renegarmos, ele também nos renegará. 13E se não formos fiéis, ele ainda continuará fiel a nós, porque não pode negar a si mesmo.

Evangelho: Lc 17,11-19 (Cura de dez leprosos)

11Durante a viagem para Jerusalém, ele passou ao longo da fronteira entre a Samaria e a Galileia. 12Entrando num povoado, dez leprosos foram ao seu encontro. 13Eles pararam à distância e gritaram com força: “Jesus, Mestre, tem pena de nós!”. 14Apenas Jesus os viu, disse: “Ide vos mostrar aos sacerdotes”. E enquanto caminhavam ficaram curados. 15Um deles, vendo-se curado, voltou, glorificando a Deus em alta voz. 16E caiu com o rosto por terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe. Ora, ele era um samaritano. 17Mas Jesus observou: “Não ficaram curados os dez? Onde estão os outros nove? 18Não houve nenhum que voltasse para dar glória a Deus a não ser este estrangeiro?”. 19Depois acrescentou: “Levanta-te, segue teu caminho. Tua fé te salvou”.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

 

Boa Nova para cada dia

 

A CONFIANÇA EM DEUS NOS MOVE À GRATIDÃO A ELE

Primeira Leitura: 2Rs 5, 14-17.

… teu servo já não oferecerá holocausto ou sacrifício a outros deuses, mas somente ao Senhor (2Rs 5,17c).

Esta frase não é dita por um judeu, mas por um estrangeiro, Naaman, o sírio, que foi curado da lepra pelo profeta Eliseu.

Como aconteceu esta estória?

Havia no reino da Síria um homem importante que ajudava o rei e vivia no palácio real.

Chama-se Naaman.

Mas ele tinha lepra.

Então uma menina de Israel, que fora levada escrava para o palácio do rei, ficou sabendo que Naaman era leproso. Ela então disse ao rei: na minha terá há um profeta que pode curar Naaman.

O rei mandou Naaman com presentes ao rei de Israel, pedindo-lhe que o curasse da lepra.

O rei de Israel não podia curar de lepra. Isto seria um milagre, e o rei não fazia milagres.

Mas o profeta Eliseu soube do caso e mandou que Naaman fosse encontrá-lo na beira do rio Jordão.

Naaman foi.

Mas Eliseu nem saiu a seu encontro.

Mandou um criado dizer que Naaman devia se banhar sete vezes no rio.

Depois de se queixar por esse tratamento inadequado a um homem da corte da Síria, Naaman concordou em entrar no rio. Depois de sete banhos sua pele ficou como a de um bebezinho.

Agradecido foi procurar Eliseu para lhe entregar os presentes que o rei da Síria tinha preparado.

Mas Eliseu não aceitou. Naaman devia agradecer a Deus que fizera o milagre.

O mais importante foi o que aconteceu depois da cura de Naaman; ele se converteu ao Deus de Israel, e passou a adorá-Lo. Pediu a Eliseu licença para levar terra de Israel para oferecer sobre ela, num altar de pedra, os animais sacrificados em honra do Deus de Israel.

Esta estória mostra como nem o rei de Israel nem Eliseu, mesmo sendo profeta, poderiam operar milagres. Isto só Deus pode fazer.

E o resultado, esperado por Deus e pelo profeta, foi a conversão de Naaman porque estava agradecido a Deus. Ia morrer de lepra, mas Deus o salvou.

Este foi o final feliz desta estória: Naaman salvo da lepra, isto é, purificado em seu coração, descobriu e adorou a Deus.

Nós, porque temos fé, vemos em Naaman nossa imagem.

Como já temos fé no Deus de Jesus Cristo, não precisamos de pedir que Deus nos cure de nossas doenças com milagres, mesmo que às vezes Deus permita isto.

O mais importante, no entanto, é agradecermos a Deus pelos milagres que Ele realiza todos os dias em nossa vida.

Ele nos atende em todos os pedidos que Lhe apresentamos rezando o Pai-Nosso.

E, muitas vezes, para atender a estes pedidos Deus faz verdadeiros milagres, mesmo que não os vejamos imediatamente. Mas com o tempo refletimos sobre nossa vida e vemos que, em tantas situações perigosas, Deus se antecedeu a nosso pedido de salvação e nos salvou de perigos, doenças, dificuldades de todos os tipos.

Tudo isto nos diz que devemos ter o mesmo sentimento de Naaman: adorar a Deus todos os dias de nossa vida como gratidão por tudo o que Ele nos tem dado.

Salmo Responsorial: Sl 97(98),1.2-3ab.3cd-4 (R/ cf.2b).

 Os confins do universo contemplaram a salvação de nosso Deus [Sl 97(98),3ab].

A Primeira Leitura foi a estória de um estrangeiro que foi a Israel da distante Síria.

Ele teve que viajar a cavalo por mais de 250 Km.

Era muito longe de Israel somente para procurar a cura de uma lepra.

O fato é que Naaman foi a Israel.

Sem nem mesmo saber, Naaman estava cumprindo uma profecia que aparece no Salmo Responsorial de hoje: Os confins do universo contemplaram a salvação de nosso Deus [Sl 97(98),3ab].

É claro que para os israelitas a Síria não era ainda o lugar mais distante do mundo, mas o Salmo quer dizer que de toda a terra irão pessoas agradecer a salvação dada por Deus. Foi o que aconteceu com Naaman, o sírio.

O Salmo diz mais: Aclamai o Senhor, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai (é o versículo 4).

O que quer dizer?

Quer dizer que o Deus de Israel não é só para Israel, mas para todos os povos.

Se Deus é para todos os povos, é também para nós.

E muito mais para nós, os convertidos a Jesus Cristo, porque acreditamos no Deus Pai de Jesus Cristo.

Ora, “nós” neste caso quer dizer todas as pessoas do mundo que foram batizadas no nome do Pai do Deus de Jesus, no nome de Jesus e no nome do Espírito Santo.

Como podemos agradecer a Deus?

Primeiro nesta missa cantamos o Salmo com alegria, porque o Salmo de hoje está dizendo o que queremos dizer a todo mundo: Aclamai o Senhor, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai (é o versículo 4).

Depois, lembrando-nos deste sentimento de agradecimento a Deus, vamos voltar para casa cantando, em nosso pensamento, o refrão deste Salmo.

E no resto do dia vamos pensar em quantos milagres Deus faz em nossa vida: Deus nos livra de tantos sofrimentos e dificuldades que outras pessoas têm. Foi porque Ele nos ouviu pedir: … livrai-nos do mal.

Segunda Leitura: 2Tm 2, 8-13.

se com Jesus morremos, com Ele viveremos (2Tm 2,11).

Como ouvimos nesta Segunda Leitura, São Paulo está dando vários conselhos a seu ajudante fiel, São Timóteo. São os melhores conselhos, porque São Paulo sabe que em breve vai morrer.

Nesta leitura São Paulo lembra quantos sofrimentos os primeiros cristãos tiveram que suportar para defender a fé no Deus de Jesus Cristo.

São Paulo mesmo está sofrendo no momento, porque está preso em Roma, esperando a morte.

São Timóteo está em Éfeso, sofrendo porque algumas pessoas da comunidade lhe criam problemas muitos sérios que ele não conseguia resolver. Era muito peso para São Timóteo que vivia sempre adoentado.

“Sofrimentos” aqui significa o que São Paulo chama de “morrer com Jesus”.

Mas merecer o prêmio destes sofrimentos é receber a Ressurreição que Jesus recebeu de Deus antes de todos. É o que entendemos agora lendo: …se com Jesus morremos, com Ele viveremos (2Tm 2,11). “Viver” aqui é “ressuscitar”.

Muitas vezes não vemos sentido algum nos sofrimentos que Deus permite em nossa vida.

Mas se entendemos o que São Paulo falou nesta Segunda Leitura, podemos muito bem saber que os sofrimentos nesta vida somente são permitidos por Deus para que sejamos purificados de nossos pecados, defeitos, erros e muito mais. E, por fim, para que recebamos o prêmio que é a Ressurreição, a Vida Eterna no amor sem fim de Deus.

Portanto, diante de um sofrimento não façamos queixas, mas ação de graças.

Evangelho: Lc 17, 11-19.

não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro? (Lc 17,18).

Na Primeira leitura vimos como foi um estrangeiro que recebeu o milagre da cura da lepra, Naaman.

Neste Evangelho vemos que os curados da lepra por Jesus com aquele milagre foram judeus e um samaritano.

Naaman, estrangeiro que não conhecia o Deus de Israel voltou para agradecer o milagre e voltou convertido para a sua terra, a Síria.

Dos dez leprosos que Jesus curou, nove eram israelitas e só um estrangeiro, o samaritano, voltou para dar glória a Deus.

O que este fato nos ensina?

Nem todo mundo que se chama “filho de Deus” é agradecido a Deus, mesmo que Deus faça milagres em suas vidas.

Perguntemos: até a que ponto somos agradecidos a Deus por tudo o que nos tem feito?

Agradecemos por termos o pão de cada dia?

Agradecemos por sermos parte do Reino de Deus já nesta vida?

Agradecemos quando Deus perdoa nossos pecados depois que confessamos?

Agradecemos toda vez que Deus nos livra de perigos em estradas, acidentes domésticos, problemas familiares, problemas financeiros e até mesmo de nossos erros, nossas imprudências, nossas loucuras?

Agradecemos a Deus por nos prometer a Vida Eterna com Ele para sempre?

A lista dos agradecimentos que devemos fazer a Deus é muito grande.

E se conseguíssemos agradecer a Deus por tudo só por dever, bastaria? Não.

O mais importante é o agradecimento feito por amor a Deus.

Somente então é que vamos entender como a gratidão a Deus é amor a Ele e amor Dele por nós.

Teremos então feito o caminho que vai da fé para a ação de graças:

A CONFIANÇA EM DEUS NOS MOVE À GRATIDÃO A DEUS.

Demos graças ao Senhor porque Ele é bom. Para sempre é Seu amor.

 

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma


Siga-nos: