Liturgia do dia 12/09/2019

Leituras
Cl 3,12-17
Sl 150,1-2.3-4.5-6 (R/. 6)
Lc 6,27-38

23ª Semana do Tempo Comum

Quinta-Feira

Primeira Leitura: Cl 3,12-17

12Por isso, revesti-vos de toda ternura, bondade, humildade, delicadeza e paciência, como escolhidos de Deus, seus santos e muito amados. 13 Suportai-vos uns aos outros. Perdoai-vos mutuamente, sempre que alguém der a outro motivo de queixa. Como o Senhor vos perdoou, assim também vós. 14Mas, sobretudo, distingui-vos pela caridade que é o laço da união perfeita. 15E a paz de Cristo reine em vossos corações, pois a ela fostes chamados para formar um só corpo. Enfim, vivei sempre agradecidos! 16Que a Palavra de Cristo habite copiosamente em vós. Ensinai-vos e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria. Agradecidos do fundo dos vossos corações, cantai louvores a Deus, com salmos, hinos e cânticos inspirados. 17E tudo que disserdes ou fizerdes, seja sempre em nome de Jesus, o Senhor, dando por ele graças a Deus Pai!

 

Salmo: Sl 150,1-2.3-4.5-6 (R/. 6)

R.: Tudo o que vive e respira cante o louvor do Senhor!

1Aleluia! Louvai a Deus em seu templo, louvai-o em seu firmamento! 2Louvai-o em seus altos feitos, louvai-o em sua grandeza!

3Louvai-o ao som das trombetas, louvai-o com harpa e cítara! 4Louvai-o com dança e tímpano, louvai-o com flauta e cordas.

5Louvai-o, sonoros címbalos; címbalos fortes, louvai-o! 6Tudo o que vive e respira cante o louvor do Senhor!

Evangelho: Lc 6,27-38

27Mas para vós que estais me ouvindo, eu digo: amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; 28 falai bem dos que falam mal de vós, rezai pelos que vos difamam. 29A quem te bater numa face, oferece a outra; ao que te arrancar o manto, não recuses também a túnica. 30Dá sempre a quem te pede alguma coisa e não reclames a quem tira o que é teu. 31Fazei aos outros como quereis que os outros vos façam. 32 Se amais os que vos amam, que vantagem tereis? Pois até os pecadores amam aqueles que os amam. 33Se fazeis bem só aos que o fazem a vós, que vantagem tereis? Até os pecadores fazem o mesmo. 34 Se emprestais àqueles de quem esperais receber, que vantagem tereis? Até os pecadores emprestam aos pecadores, para receber o equivalente. 35Pelo contrário, amai os vossos inimigos, fazei-lhes o bem e emprestai sem esperar nada. Então vossa recompensa será grande e sereis os filhos do Altíssimo, porque ele, sim, é bom para os ingratos e os maus. 36 Sede misericordiosos, como vosso Pai é misericordioso. 37Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados. 38Dai aos outros e os outros vos retribuirão; derramarão em vosso avental uma boa medida, bem cheia, sacudida e transbordante. Porque com a medida com que medirdes sereis medidos”

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

 

Boa Nova para cada dia

 

… amai os vossos inimigos (Lc 6,27.35).

O Evangelho de hoje traz uma série de ensinos de Jesus.

São muitos e de tipos diferentes.

São perto de quinze, para diferentes situações da vida em nosso trato com as outras pessoas.

Dando tais ensinos, Jesus se mostra um grande mestre, um “Rabi”, como se chamavam os mestres espirituais daquele tempo.

Mais ainda: Jesus dá ensinamentos que lembram os grandes mestres de Israel, como Moisés. De fato, quando Jesus diz que é o Filho do Homem com poder sobre o sábado, está se pondo acima de Moisés, que recebeu de Deus a ordem de respeitar o sábado, mas não tinha poder sobre ele.

Uma das marcas destes conselhos de Jesus é a justificativa para cada ensino.

Assim quando manda amar os inimigos, é fazer bem a pessoas que nos fazem mal. Por qual motivo se deve amar os inimigos? É porque no Reino de Deus não basta amar somente os amigos. Até os pecadores fazem assim. Então não muda nada.

Por qual motivo devemos ser misericordiosos, não julgar, não condenar, mas perdoar? É porque nosso modelo é Deus: Ele é a misericórdia em pessoa. É deste modo que conhecemos a Deus.

Porque dar o que temos a quem não tem o necessário?

É porque Deus vai nos recompensar numa medida tão grande que nem conseguimos imaginar, uma medida que vai muito além do que esperamos com nossas medidas curtas e egoístas. É deste modo que conhecemos a Deus.

E deste modo podemos ler e ir meditando todo este Evangelho.

Aprenderemos muitas coisas. É deste modo que conheceremos melhor a Deus.

E mais do que isto, veremos como não somos generosos como Deus se mostra generoso.

Façamos hoje o propósito de perdoar aquela pessoa que para nós for especialmente difícil, aquela pessoa que por anos não quisemos ver nem visitar. Fazendo isto, Deus irá conosco e tudo será diferente. É deste modo que conhecemos a Deus.

Experimentaremos, na presença Dele, a medida da bondade, do desinteresse, da misericórdia, da generosidade que só Deus tem.

E sejamos agradecidos por entender e praticar tudo o que o Evangelho de hoje nos ensina.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma


Siga-nos: