Liturgia do dia 10/09/2019

Leituras
Cl 2,6-15
Sl 144(145),1-2.8-9.10-11 (R/. 9a)
Lc 6,12-19

23ª Semana do Tempo Comum

Terça-Feira

Primeira Leitura: Cl 2,6-15

6Portanto, assim como acolhestes a Cristo Jesus, o Senhor, continuais a caminhar unidos com ele! 7Arraigados e edificados nele, firmes na fé tal como vos foi ensinada e fazendo progressos nela, em ação de graças. 8Ficai atentos, para que ninguém vos arme uma cilada com a filosofia, esse erro vazio que segue a tradição dos homens e os elementos do mundo e não segue a Cristo. 9De fato, é nele que toma corpo toda a plenitude da divindade, e nele participais, repletos da plenitude dele que é 10 cabeça de toda Autoridade e de todo Poder. 11Vós fostes também circuncidados nele, com uma circuncisão que não foi efetuada por mãos humanas, mas com a circuncisão de Cristo, pelo despojamento do corpo carnal. 12Estais sepultados com ele pelo batismo, e com ele também ressuscitastes pela fé com que credes no poder de Deus que os ressuscitou dos mortos. 13A vós, que estáveis mortos pelos vossos pecados e pela vossa carne sem circuncisão, ele vos fez reviver com Cristo, perdoando todos os vossos pecados. 14Cancelou o registro contrário a nós pelas suas muitas exigências legais, afixando-o à cruz. 15Desarmou as autoridades e os poderes infernais, e os expôs aos olhares de todos, atrelando-os ao seu carro triunfal.

 

Salmo: Sl 144(145),1-2.8-9.10-11 (R/. 9a)

R.: Benigno é o Senhor para com todos!

1Ó meu Deus, meu rei, quero exaltar-te e bendizer-te sempre e eternamente. 2Dia após dia, quero bendizer-te, louvar teu nome, sempre e eternamente.

😯 Senhor é bondoso e compassivo, lento em irar-se e cheio de ternura. 9Benigno é o Senhor para com todos, de todos que criou se compadece.

10Todas as criaturas te agradeçam, bendigam-te, Senhor, teus santos todos! 11Falem eles da glória do teu reino e saibam proclamar teu poderio.

Evangelho: Lc 6,12-19

12Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou toda a noite em oração a Deus. 13Quando amanheceu, convocou seus discípulos e escolheu Doze deles, aos quais deu o nome de apóstolos: 14Simão, que chamou também de Pedro; André, seu irmão; Tiago, João, Filipe, Bartolomeu, 15Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Simão apelidado “o Zelota”; 16 Judas, irmão de Tiago e Judas Iscariotes, que foi o traidor. 17 Jesus desceu de lá com eles e parou num lugar plano. Havia lá um grupo numeroso de discípulos e grande massa de povo. Era gente de toda a Judeia e Jerusalém, e do litoral de Tiro e Sidon. 18Queriam ouvi-lo e ser curados das suas doenças. Também os que eram, atormentados por espíritos impuros ficavam sãos. 19E toda a gente procurava tocar nele, porque dele saía uma força que curava a todos.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

 

Boa Nova para cada dia

 

Ali estavam muitos de seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judéia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. (Lc 6,17b).

À medida que Jesus ia-se tornando conhecido pelos seus milagres de curas e exorcismos, o número de pessoas que O procuravam ia aumentando.

Não somente o grupo de seus discípulos se consolidou, como Jesus escolheu doze entre eles, cujos nomes nos são dados aqui em Lc 6,14-16.

Com os discípulos vemos, nesta ocasião, Jesus procurado por multidões de Judá e da Fenícia, isto é, das regiões das cidades de Tiro e Sídon. Estas cidades estavam a 50 e 100km de distância de Cafarnaum. Quem vinha de Sídon devia viajar no mínimo quatro a cinco dias para chegar à Galiléia, onde, supomos Jesus encontrou esta multidão. Quem vinha de Jerusalém e da Judéia devia viajar mais de 145km até Cafarnaum, ou seja, entre cinco dias a uma semana.

Isto nos mostra como a fama de Jesus chegou longe, e quanta importância adquiriu naqueles dias.

Não imaginemos que todas estas pessoas procuravam Jesus somente porque Ele fazia curas e exorcismos. Estavam interessadas na mensagem que Ele dava. A pregação sobre o Reino de Deus devia encher de esperança todos os que sofriam injustiças, os pobres, os aflitos, os perseguidos, os descrentes do judaísmo tradicional dos fariseus e saduceus, os inconformados com a dominação romana injusta e violenta.

Contemplemos estas cenas: Jesus escolhendo seus doze apóstolos e anunciando o Reino de Deus a milhares de pessoas vindas de lugares tão distantes que deviam viajar entre quatro dias a uma semana para irem ouvi-Lo.

Consideremos nosso interesse pelo que Jesus nos ensina sobre o Reino de Deus em seu Evangelho, nos Evangelhos que lemos diariamente. E repensemos a importância que lhe damos. Viajaríamos a pé uma semana para ouvir Jesus? Quando vale, para nós, seu anúncio do Reino de Deus? Quanto vale para nós a Salvação com que nos cura, perdoa e leva para a Vida Eterna?

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma


Siga-nos: