DECOLORES, irmãos de caminhada!

MCC: caminho de santificação.

Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso”. (Lc. 6, 36)

Continuamos, nesta semana, a refletir sobre a oração, primeiro pé do tripé.

Se a oração é uma relação amorosa, essa relação pode dar-se de diversas maneiras. Podemos nos relacionar com Ele através de fórmulas, de orações prontas, como Pai nosso, Ave Maria, etc…  Podemos nos comunicar através da Palavra de Deus, especialmente a leitura orante da palavra de Deus.

Há ainda muitas outras maneiras de nos comunicarmos com Deus.  Através das pessoas, das realidades, dos sinais dos tempos, através das alegrias, das dificuldades, inclusive a doença e a dor deveriam ser especiais caminhos de encontro com Deus. Portanto deveriam ser oração.

Somos convidados a orar, em particular no intimo do nosso coração, pois cada um de nós tem suas necessidades, seus pedidos, seus sonhos. Mas somos também convidados a orar em comunidade, pois somos membros de um povo, de uma Igreja, que é família que tem seus ritos, suas necessidades. Rezar em comunidade, como Igreja, além da oração ser especial, ter uma força especial, é sinal de maturidade cristã. Claro, a oração por excelência é a Eucaristia, pois rezamos com Cristo, em Cristo e Ele mesmo torna-se nossa oração.

A oração produz frutos indispensáveis como a paz, a alegria, segurança, a fecundidade evangelizadora e, sobretudo, a oração gera em nós uma presença especial de Deus, porque a oração é estar com Deus, a oração é viver em Deus, a oração é abrir espaço para Ele e permitir que Ele ilumine nossa vida. Em suma, podemos dizer que rezar é ir ainda mais perto de Deus e trazer Deus para mais perto de nós!

Nascemos para Evangelizar!

Pai nosso…

Pe. Xiko

Siga-nos: