Liturgia do dia 19/08/2019

Leituras
Jz 2,11-19
Sl 105(106),34-35.36-37.39-40.43ab e 44 (R/. 4a)
Mt 19,16-22

20ª Semana do Tempo Comum

Segunda-Feira

Primeira Leitura: Jz 2,11-19

11Então fizeram os filhos de Israel o que é mau aos olhos de Javé, servindo aos Baalins. 12Deixaram Javé, Deus de seus pais, que os tinha tirado da terra do Egito, e seguiram a outros deuses, dos povos que em torno deles habitavam, prostrando-se diante desses deuses, e irritando, assim, a Javé. 13Deixaram Javé para servir a Baal e às Astartes. 14Então, acendeu-se contra Israel a ira de Javé, que os abandonou nas mãos de saqueadores que os despojaram, e os entregou aos seus inimigos habitantes dos países vizinhos; e eles não puderam resistir a seus inimigos. 15Em todas as suas ações, a mão de Javé erguia-se contra eles para sua perdição, assim como Javé tinha dito e como lhes havia jurado. Achavam-se em grande angústia. 16Então Javé suscitou juízes, que os salvaram de seus espoliadores. 17Mas nem aos seus juízes ouviram; prostituíram-se com outros deuses, adorando-os. Bem depressa afastaram-se do caminho, por onde tinham andado seus pais, que obedeceram aos mandamentos de Javé; mas eles não os imitaram. 18Quando Javé lhes suscitava juízes, Javé estava com o juiz e os livrava das mãos dos seus inimigos durante toda a vida do juiz, porquanto Javé se compadecia diante de seus gemidos causados por seus opressores e perseguidores. 19Quando, porém, morria o juiz, reincidiam, fazendo pior ainda do que tinham feito seus pais, seguindo outros deuses, servindo-os e adorando-os. Não abandonaram suas obras perversas nem seu procedimento obstinado.

 

Salmo: Sl 105(106),34-35.36-37.39-40.43ab e 44 (R/. 4a)

R.: Vem a nós, ó Senhor, que amas teu povo,

34Não passaram à espada aqueles povos que o Senhor ordenara exterminar; 35mas ao contrário a eles misturaram-se, e aprenderam então os seus costumes.

36Puseram-se a servir deuses alheios, terrível armadilha em que caíam; 37 imolavam a eles os seus filhos, sacrificavam filhas aos demônios.

39Por suas traições prostituíram-se, e o Senhor detestou a sua herança; 40 contra os seus inflamou-se a sua ira, ao ver sua aliança violada.

43Por muitas vezes Deus os libertava; revoltavam-se ainda. 44Mas sempre tinha pena de seu povo, ouvia na aflição a sua prece. 

Evangelho: Mt 19,16-22

16Um moço chegou perto de Jesus e perguntou: “Mestre, que devo fazer de bom para conquistar a vida eterna?”. 17Ele respondeu: “Por que me perguntas a respeito do que é bom? Um só é o bom. E, se queres entrar na vida, guarda os mandamentos”. 18“Quais?”, perguntou ele. Respondeu de novo Jesus: Não matar, não cometer adultério, não roubar, não proferir falso testemunho; 19honra pai e mãe e assim amarás o teu próximo como a ti mesmo. 20O moço então disse: “Tenho guardado tudo isso. Que me falta ainda?”. 21 Jesus então concluiu: “Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me”. 22Tendo ouvido isso, o moço foi-se embora, entristecido, porque possuía muitos bens.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

 

Boa Nova para cada dia

“Tenho observado todas estas coisas. O que ainda me falta?” (Mt 19,20).

Esta é a estória do jovem rico que perguntou a Jesus como conseguiria a Vida Eterna.

Ele ainda não tinha ouvido Jesus dizer:

“Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida …” (Jo 14,6).

E quando Jesus disse que era a Vida, certamente não queria dizer uma vida terrena, mortal, temporal. Ele queria dizer a Vida Eterna.

Sendo Jesus a Vida Eterna dada à humanidade, era normal que Ele mesmo indicasse ao jovem rico o Seu seguimento para alcançá-Lo na eternidade.

Mas o jovem rico não tinha olhos para ver. Ele somente tinha interesse por sua riqueza.

Assim Jesus, decepcionado com aquela desistência de um jovem, cujo futuro estava todo por se construir, aproveitou este fato para ensinar sobre as condições de entrada no Reino dos Céus. Aquele jovem não tinha condições disto? Ele mesmo disse que começara bem seu relacionamento com Deus, porque tinha sido, até aquele momento, fiel observante da Lei, como Jesus lhe indicara. Só lhe faltava seguir Jesus pra entrar no Reino dos Céus e assim alcançar a Vida Eterna.

Para nós, que mais uma vez ouvimos este Evangelho, a lição é clara: a riqueza pode nos cegar.

Podemos perder de vista o mais importante que é conseguir ir com Jesus para a Vida Eterna. E, no entanto, são milhares os cristãos que caem neste erro.

Inúmeros, depois de conseguirem um alto nível econômico, deixam Jesus sozinho nas igrejas. Têm dinheiro, mas não terão a Vida Eterna.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma


Siga-nos: