Liturgia do dia 25/02/2019

Leituras
Eclo 1,1-10
Sl 92(93),1ab.1c-2.5 (R/. 1a)
Mc 9,14-29

7ª Semana do Tempo Comum

Segunda-Feira

Primeira Leitura: Eclo 1,1-10

1Toda sabedoria vem do Senhor e está sempre com ele. 2A areia do mar, as gotas da chuva e os dias do tempo, quem os pode contar? 3A altura do céu, a extensão da terra, a profundeza do abismo, quem os sondará? 4Mas antes de todas as coisas foi criada a Sabedoria e da eternidade vem a inteligência prudente. 5A fonte da sabedoria é a palavra de Deus no mais alto dos céus e seus caminhos são os mandamentos eternos. 6A quem foi revelada a raiz da sabedoria? Quem conhece seus desígnios secretos? 7A ciência da sabedoria a quem foi manifestada, e a diversidade de seus caminhos quem jamais conheceu? 8 Só há um sábio, muito temível, aquele que tem assento sobre o seu trono. 9É o próprio Senhor quem a criou, viu e contou, espalhou-a sobre todas as suas obras, 10 em toda a carne, à proporção de seu dom, e a distribuiu aos que o amam.



Salmo: Sl 92(93),1ab.1c-2.5 (R/. 1a)

R.:O Senhor se vestiu de majestade, o Senhor reina!

1a O Senhor se vestiu de majestade! 1bRevestiu-se, cingiu-se de poder; sim, o Senhor reina!

1cFirmaste o mundo, e o mundo não se abala; 2teu trono é firme desde a eternidade, existes desde sempre.

5Teus testemunhos são dignos de fé, a santidade brilha em tua casa pelos tempos afora.

 

Evangelho: Mc 9,14-29

14Voltando para junto dos discípulos, ele viu grande multidão que os rodeava e mestres da lei que discutiam com eles. 15Logo que toda a multidão o viu, ficou surpreendida e acorreu para cumprimentá-lo. 16Perguntou então a essa gente: “O que estais discutindo com eles?”. 17Alguém da multidão respondeu: “Mestre, eu te trouxe meu filho, que está possesso de um espírito mudo. 18Quando o domina, joga-o no chão e o menino espuma, range os dentes e fica todo rijo. Pedi a teus discípulos que o expulsassem, mas não foram capazes”. 19Ele então retomou a palavra: “Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando tenho de vos suportar? Trazei-o aqui para mim!”. 20E o levaram até ele. Logo que viu Jesus, o espírito sacudiu com violência o menino, que caiu por terra, contorcendo-se e espumando. 21 Jesus perguntou ao pai do menino: “Há quanto tempo lhe acontece isto?”. Ele respondeu: “Desde a infância. 22Muitas vezes o espírito o jogou no fogo e na água para fazê-lo morrer. Mas, se podes alguma coisa, ajuda-nos, tendo muita pena de nós!”. 23Jesus falou-lhe de novo: “Se podes! — tu dizes — Mas tudo é possível para quem tem fé!”. 24No mesmo instante, o pai do menino exclamou em alta voz: “Eu creio! Ajuda a pobreza de minha fé”. 25Jesus, vendo a multidão que se ajuntava, repreendeu o espírito impuro, dizendo:“Espírito mudo e surdo, eu te ordeno, sai dele e não entres mais!”. 26O espírito gritou, sacudiu violentamente o menino e saiu dele. O menino ficou como morto, de modo que muitos diziam: “Morreu!”. 27Mas Jesus o pegou pela mão, levantou-o e ele ficou de pé. 28Quando Jesus entrou em casa, seus discípulos lhe perguntaram em particular: “Porque nós não pudemos expulsar esse espírito?”. 29Ele respondeu: “Espírito desse tipo só pode ser expulso pela oração”.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.



Boa Nova para cada dia

Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nós e ajuda-nos. (Mc 9,22b).

Encontramos hoje uma longa narrativa de um dos milagres de Jesus, envolvendo um epiléptico, seu pai e os discípulos.

O objetivo desta estória é mostrar como o poder que Jesus tem não se equipara ao que seus discípulos têm. Não porque Jesus não lhes tivesse dado o mesmo poder de fazer milagres e exorcismos como Ele fazia. E sim porque aos discípulos alguma coisa faltava: oração (Mc 9,29b). Isto era exigência posta aos discípulos. Se não tinham oração suficiente, o poder que Jesus lhes dera não podia ser eficaz.

Por outro lado esta passagem quer nos mostrar que a pessoa que pede alguma coisa a Jesus precisa ter plena confiança Nele.

O pai do epiléptico primeiro faz um pedido que mostra pouca confiança: Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nós e ajuda-nos. (Mc 9,22b).

Depois de conversar com Jesus, o pai já muda de opinião e a Jesus responde dizendo em alta voz: Eu tenho fé, mas ajuda minha falta de fé. (Mc 9,24).

Jesus, então, realiza o milagre. Tudo estava de acordo para que o milagre acontecesse:

-a oração, que Jesus afirmou ser necessária para este milagre. Não é mencionada neste Evangelho. Mas se Jesus disse que era indispensável, em algum momento terá feito o pedido a Deus para poder expulsar aquele tipo de demônio.

a fé do pai do epiléptico. Antes fraca; depois, fortalecida pela confiança em Jesus.

É evidente o que este milagre nos ensina: ao pedirmos alguma coisa a Jesus precisamos fazer oração e ter fé Nele.

Que fé? Mesmo uma fé pequena, porque confiamos Nele mais do que o pai do epiléptico. Basta que nossa fé seja suficiente, pequena mesmo, como um grão de mostarda (Mt 17,20).



Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: