Liturgia do dia 24/02/2019

Leituras
1Sm 26,2.7-9.12-13.22-23
Sl 102 (103),1-2.3-4.8.10.12-13 (R/. 8a)
1Cor 15,45-49
Lc 6,27-38 (Misericordiosos como o Pai)

7º Domingo do Tempo Comum

Domingo

Primeira Leitura: 1Sm 26,2.7-9.12-13.22-23

2Saul aprontou-se e desceu a Zif com três mil homens, a elite de Israel, para dar caça a Davi no deserto de Zif. 7Então Davi e Abisaí, à noite, vieram perto da tropa, e eis que Saul estava deitado, dormindo, dentro do acampamento; a sua lança estava fincada no chão à sua cabeceira, e Abner e a tropa estavam deitados ao redor dele. 9Tornou-lhe Davi: “Não o mates! Quem poderia estender a mão contra o ungido de Javé e ficar sem castigo?”. 12Apanhou Davi a lança e o cantil de água, à cabeceira de Saul, e foram-se embora. Ninguém os viu, ninguém soube, ninguém se acordou; todos dormiam, pois um profundo sono vindo de Javé tinha caído sobre eles. 13E Davi passou para outro lado, e colocou-se no cume do morro, ao longe, com grande distância entre eles. 22Davi respondeu:“Eis aqui a lança do rei; que um dos rapazes atravesse, e venha pegá-la. 23Javé, porém, recompensará a cada um, segundo a sua justiça e fidelidade; hoje Javé te entregou nas minhas mãos, e eu não quis estendê-las contra o ungido de Javé.

 

Salmo: Sl 102 (103),1-2.3-4.8.10.12-13 (R/. 8a)

R.:O Senhor é bondoso e compassivo!

1Bendize o teu Senhor, ó minha alma; louve todo o meu ser seu santo nome! 2Sim, bendize o Senhor, ó minha alma, não esqueças nenhum de seus favores!

3Pois perdoou as tuas culpas todas, de toda enfermidade te curou. 4Salvou da sepultura a tua vida, cercou-te de carinho e compaixão.

😯 Senhor é bondoso e compassivo, lento em irar-se e cheio de clemência. 10Não nos tratou segundo as nossas faltas, nem nos pagou segundo as nossas culpas.

12Mais longe que o oriente do ocidente, ele afastou de nós nossos pecados. 13Como o pai que tem pena de seus filhos, apieda-se o Senhor de quem o teme.

Segunda Leitura: 1Cor 15,45-49

45Do mesmo modo também está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito uma alma vivente; o Adão definitivo se tornou um espírito que dá a vida. 46Mas a ordem é esta: não vem em primeiro lugar o espiritual, mas sim o animal, e, depois, o espiritual. 47O primeiro homem, vindo da terra, é terrestre; o segundo homem vem do céu. 48Assim como foi o terrestre, assim vão ser também os terrestres. Como é o celeste, assim vão ser também os celestes. 49E como trouxemos a imagem do terrestre, traremos também a imagem do celeste.

Evangelho: Lc 6,27-38 (Misericordiosos como o Pai)

27Mas para vós que estais me ouvindo,eu digo: amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; 28 falai bem dos que falam mal de vós, rezai pelos que vos difamam. 29A quem te bater numa face, oferece a outra; ao que te arrancar o manto, não recuses também a túnica. 30Dá sempre a quem te pede alguma coisa e não reclames a quem tira o que é teu. 31Fazei aos outros como quereis que os outros vos façam. 32Se amais os que vos amam, que vantagem tereis? Pois até os pecadores amam aqueles que os amam. 33Se fazeis bem só aos que o fazem a vós, que vantagem tereis? Até os pecadores fazem o mesmo. 34Se emprestais àqueles de quem esperais receber, que vantagem tereis? Até os pecadores emprestam aos pecadores, para receber o equivalente. 35Pelo contrário, amai os vossos inimigos, fazei-lhes o bem e emprestai sem esperar nada. Então vossa recompensa será grande e sereis os filhos do Altíssimo, porque ele, sim, é bom para os ingratos e os maus. 36Sede misericordiosos, como vosso Pai é misericordioso. 37Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados. 38Dai aos outros e os outros vos retribuirão; derramarão em vosso avental uma boa medida, bem cheia, sacudida e transbordante. Porque com a medida com que medirdes sereis medidos”.



Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.



Boa Nova para cada dia

A VOSSA RECOMPENSA SERÁ GRANDE, E SEREIS FILHOS DO ALTÍSSIMO, PORQUE DEUS É BONDOSO TAMBÉM PARA COM OS INGRATOS E OS MAUS 

(Lc 6,35)

Do alto dos céus, de sua morada nas alturas, Deus Altíssimo vê sobre a terra os bons e os maus.

Como Deus manda o sol e a chuva sobre os bons e os maus, a Ele importa a Salvação de todos.

É neste sentido que a Liturgia da Palavra de hoje nos orienta para nossa opção de vida segundo a vontade de Deus e não segundo o caminho dos maus. Se Deus é bondoso também com os maus nesta vida, dando-lhes chance de arrependimento, será bondoso também para os arrependidos que assim merecerão a Vida Eterna.

Primeira Leitura:

O Senhor retribuirá a cada um conforme a sua justiça e sua fidelidade … (1Sm 26,23).

Era clara no Antigo Testamento a distinção entre os justos e os ímpios.

O Primeiro Livro de Samuel testemunha esta distinção usando o verbo ‘retribuir’ como ação de Deus em relação tanto a justos como a injustos. Deve ficar claro para nós que o justo é quem obedece à Lei que Deus deu por meio de Moisés no Antigo Testamento, tal como o Primeiro Livro de Samuel entende aqui.

A Salvação que cada israelita esperava de Deus passava pela sua observância da Lei.

A todo homem é dado escolher entre os dois caminhos: o da Lei ou contra ela. Somente escolhendo o caminho da justiça é que cada pessoa pode ser recompensada por Deus com a Salvação.

Esta pensamento nos acompanha ao longo de toda a Liturgia da Palavra deste Sétimo Domingo do Tempo Comum.

Portanto aqui está a mensagem mais importante deste Domingo para nossa meditação.

Tendo conhecimento da vontade de Deus a respeito de nossa Salvação, somos convidados a viver nossa vida terrena em justiça e fidelidade¸ para alcançarmos de Deus a recompensa que é a Vida Eterna.

Salmo Responsorial

[… o Senhor] não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas [Sl 102(103),10].

Apesar de sabermos como pecamos, e apesar de temermos a punição por nossos erros, nossa esperança de Salvação dada por Deus não pode jamais esmorecer. A Esperança nos é dada no Batismo, com a Fé e a Caridade.

A Esperança nos é dada precisamente para que não caiamos no desespero imaginando que nossos pecados não poderiam ser perdoados por Deus. Pelo contrário, a Morte e Ressurreição de Jesus nos garantiram a Salvação que por nossas forças jamais conseguiríamos.

Deus sabe muito bem quais são nossos pecados.

Mas ele também examina nossos corações e vê como ali dentro sentimos o arrependimento. Por isso não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas [Sl 102(103),10].

Em outras palavras, a bondade e misericórdia divinas são maiores eu Sua Ira punitiva. Qual é a condição para que Deus nos trate assim? É vendo nosso coração arrependido. Deus não despreza um coração humilhado e arrependido porque nesse coração arde o amor a Deus. É o que nos diz o Sl 50(51),17.

Segunda Leitura

Como foi o homem terrestre, assim também são as pessoas terrestres; e como é o homem celeste, assim também vão ser as pessoas celestes (1Cor 15,48).

A condição inicial de Adão foi de perfeito estado de Graça. Assim que foi criado, nem ele nem Eva tinham pecado. Mas depois do pecado foram merecedores da punição divina. Deste modo Adão e Eva são maus, pecadores, e nos transmitiram esta condição não desejada por Deus. Adão e Eva são a humanidade, o gênero Humano ‘terrestre’.

Pelo contrário, a condição de santidade de Jesus nos é dada já nesta vida para permanecer por toda a eternidade, porque pela Sua Morte e Ressurreição Jesus nos garantiu o perdão do pecado de Adão e Eva. Assim perdoados, na Vida Eterna seremos como Jesus, sem a menor mancha de pecado. Ele é o homem celeste, modelo de nós mesmos quando estivermos santificados na Vida Eterna.

Evangelho

…a vossa recompensa será grande, e sereis filhos do Altíssimo, porque Deus é bondoso também para com os ingratos e os maus (Lc 6,35).

Esta passagem o Evangelho de Lucas nos enche de esperança, contra o desespero de uma impossibilidade de alcançar o perdão de nossos pecados.

Pelo Salmo Responsorial vimos como Deus reage a nossos pecados: o Senhor] não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas [Sl 102(103),10].

Deus poderia nos punir em proporção com nossos pecados. Quanto maiores, maior a punição. A misericórdia de Deus não nos trata assim.

Mas, pelo fato de Deus nos tratar com sua misericórdia, não significa que podemos descuidar nossa vigilância contra o pecado. Sabemos, de fato, que o pecado nos leva a merecer a punição divina. É preciso, portanto, não desesperar pela culpa e temor de não receber o perdão, como, ao mesmo tempo, confiar plenamente na misericórdia divina.

Podemos concluir nossa meditação deste domingo retomando o pensamento principal:

a vossa recompensa será grande, e sereis filhos do Altíssimo,

Porque Deus é bondoso também para com os ingratos e os maus (Lc 6,35).

Que este pensamento nos console e confirme em nosso amor a Deus.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: