Liturgia do dia 22/02/2019

Leituras
1Pd 5,1-4
Sl 22(23),1-3a.3b-4.5.6 (R/. 1)
Mt 16,13-19

6ª Semana do Tempo Comum – Cátedra de São Pedro

Sexta-Feira

Primeira Leitura: 1Pd 5,1-4

1Exorto ainda aos presbíteros dentre vós ,eu, presbítero igual a eles, testemunha dos padecimentos de Cristo e participante da glória que há de se revelar. 2Apascentai o rebanho de Deus que vos foi confiado, vigiando-o, não pela força, mas de bom grado, como Deus o quer; não pela sórdida ganância de lucros, mas com zelo amoroso. 3Não sejais como tiranos em relação à parte da Igreja que vos foi confiada, mas servi de modelo ao rebanho. 4Porquanto, logo que aparecer o Pastor supremo, recebereis a coroa imperecível da glória.

 

Salmo: Sl 22(23),1-3a.3b-4.5.6 (R/. 1)

R.: O Senhor é o meu pastor: não me falta coisa alguma!

1O Senhor é o meu pastor: não me falta coisa alguma!2Em campinas verdejantes me coloca a repousar.3a Me conduz às águas frescas e alma nova ele me dá!

3bFaz que eu siga o bom caminho pela honra do seu nome. 4Se atravesso o vale escuro, nada temo: estás comigo! Teu bordão e teu cajado, ao meu lado, me dão força.

5Pões a mesa à minha frente, bem defronte do inimigo; de óleo unges-me a cabeça, e o meu cálice transborda.

6Só felicidade e graça toda a vida hão de seguir-me; minha casa é a do Senhor pelo resto dos meus dias!

Evangelho: Mt 16,13-19

13Tendo chegado à região de Cesareia de Filipe, Jesus perguntou aos discípulos: “Quem dizem por aí as pessoas que é o Filho do homem?”. 14Responderam: “Umas dizem que é João Batista; outras, que é Elias; outras, enfim, que é Jeremias ou algum dos profetas”. 15Então lhes perguntou: “E vós mesmos, quem dizeis que eu sou?”. 16 Simão Pedro interveio e respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. 17 Jesus retomou a palavra e declarou: “És feliz, Simão Barjona, pois não foram a carne e o sangue que te revelaram isso, mas meu Pai que está nos céus! 18Pois, também eu te digo: tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as forças diabólicas não poderão vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos céus. Tudo o que ligares na terra será ligado nos céus; e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.



Boa Nova para cada dia

Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus;

o que ligares na terra será ligado nos céus;

e o que desligares na terra será desligado nos céus. (Mt 16,19).

A Igreja nos lembra hoje a festa pela Cátedra de São Pedro.

É o reconhecimento da importância da Santa Sé, o governo da Igreja pelo Papa. Lembremos as informações necessárias à compreensão desta festa, como comemorada no ano passado.

 Na Basílica de S. Pedro pode-se ver, sobre o altar em que o Papa celebra, um trono em bronze que contém as relíquias, os restos de uma cadeira dada ao Papa no ano 875 pelo rei francês Carlos, o Calvo.

Seu significado é este: a autoridade papal, o primado do Papa em matéria de doutrina teológica.

Esta celebração está relacionada com o dogma da infalibilidade papal: quando o Papa fala “ex cáthedra”, isto é, de seu trono, com sua autoridade pontifícia, não erra em matéria de doutrina.

O Evangelho de hoje lembra a base bíblica desta festa: foi Jesus Cristo quem deu a S. Pedro as chaves do Reino dos Céus. Com o poder destas chaves Jesus aceita o que o Papa determina em matéria religiosa na terra, ratificando-a com Sua autoridade divina no céu.

Este poder do Papa tem sido combatido pelos inimigos da Igreja em todos os tempos.

Recentemente interferências maliciosas de organismos mundiais como a ONU tentam diminuir a autoridade do Papa Francisco em questões de moral sexual e outros assuntos. É útil conferir isto no site: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=26664: “Relatório malicioso e impreciso da ONU contra Vaticano não tem fundamento”.

Hoje, portanto, devemos rezar, de modo especial, pelo Papa.



Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: