Liturgia do dia 21/02/2019

Leituras
Gn 9,1-13
Sl 101(102),16-18.19-21.29.22-23 (R/. 20b)
Mc 8,27-33

6ª Semana do Tempo Comum

Quinta-Feira

Primeira Leitura: Gn 9,1-13

1Abençoou Deus a Noé e seus filhos, dizendo: “Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra. 2Que vos temam e diante de vós tremam todos os animais da terra, todas as aves do céu, tudo o que rasteja no chão e todos os peixes do mar; sujeito-os ao vosso poder. 3Tudo o que tem movimento e vida seja vosso alimento: entrego-vos tudo, assim como vos dei as plantas verdes. 4Somente não podeis comer a carne com sua alma, que é o seu sangue. 5Mas eu pedirei conta do sangue de cada um de vós. Hei de vingá-lo nos animais selvagens e no homem; a cada um de seus semelhantes pedirei conta da vida do homem. 6Quem derramar o sangue de um homem, por outro homem terá seu sangue derramado. Porque à imagem de Deus o homem foi feito. 7Quanto a vós, sede fecundos, multiplicai-vos, proliferai sobre a terra e dominai sobre ela”. 8Assim falou Deus a Noé e a seus filhos: 9“Quanto a mim, eis que estabeleço minha aliança convosco e com vossa descendência depois de vós 10 e com todos os seres vivos que estão convosco: com as aves, com os animais domésticos, todos os animais selvagens que estão convosco, todos os que saíram da arca, todos os animais da terra. 11Faço minha aliança convosco: nunca mais ser vivo algum será destruído pelas águas do dilúvio; nunca mais haverá dilúvio para devastar a terra”. 12Disse ainda Deus: “Eis o sinal da aliança que faço entre mim e vós, e todos os seres vivos que estão convosco, para as gerações futuras: 13 coloco meu arco na nuvem, e ele será o sinal da aliança entre mim e a terra.

 

Salmo: Sl 101(102),16-18.19-21.29.22-23 (R/. 20b)

R.: Das alturas do céu , o Senhor contempla a terra! 

16Mas as nações, Senhor, temam teu nome, todos os reis da terra, a tua glória.17Quando o Senhor reconstruir Sião e no seu esplendor aparecer. 18Quando houver atendido aos degredados, já não mais desprezando as suas súplicas.

19Escreva-se isto para os que hão de vir: pois louvará a Deus um novo povo. 20Olha o Senhor do seu excelso templo, das alturas do céu contempla a terra. 21para ouvir os lamentos dos cativos, para livrar da morte os condenados. 

29Os filhos de teus servos terão casa, verás diante de ti seus descendentes. 22A fim de que em Sião cantem seu nome,sempre em Jerusalém seja louvado. 23quando todos os povos se juntarem, quando todos os reinos o servirem!

Evangelho: Mc 8,27-33

27Daí Jesus foi com seus discípulos para os povoados de Cesareia de Filipe. No caminho, ele perguntou aos discípulos: “Quem é que eu sou, no dizer da gente?”. 28Responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; outros ainda, que és um dos profetas”. 29Ele então lhes perguntou de novo: “E vós quem dizeis que eu sou?”. Pedro respondeu: “És o Cristo”. 30Deu então ordem severa para que a ninguém dissessem isto a respeito dele. 31Ele começou a lhes ensinar que o Filho do homem deveria sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sacerdoteschefes e escribas, ser entregue à morte, mas ressuscitar depois de três dias. 32E disse isto abertamente. Então Pedro, chamando-o em particular, começou a censurá-lo. 33Ele, porém, voltou-se e, vendo os discípulos, repreendeu Pedro, dizendo: “Afasta-te de mim, Satanás! Porque teus pensamentos não são de Deus, mas dos homens!”.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.



Boa Nova para cada dia

Pedro respondeu: ‘Tu és o Messias’. (Mc 8,29c).

‘Tu não pensas como Deus, mas sim como os homens’. (Mc 8,33c).

Na cena que o Evangelho de hoje põe diante de nossos olhos afirmações surpreendentes:

– primeiro Jesus pergunta o que as pessoas pensam sobre Ele, e São Pedro diz: ‘Tu és o Messias’ (Mc 8,29c).

em seguida São Pedro reage ao anúncio que Jesus faz de sua Paixão. Tenta repreender Jesus, que lhe diz: ‘Tu não pensas como Deus, mas sim como os homens’. (Mc 8,33c).

A questão central do Evangelho era a revelação do título de ‘Messias’ aplicado a Jesus por São Pedro. Jesus, porém, proibiu aos discípulos de falarem disto publicamente. Era um sério risco o desentendimento que este título provocaria entre o povo e as autoridades, especialmente as romanas. Jesus estava certo e os discípulos O entenderam. Podemos supor que eles continuaram acompanhando Jesus, mas não dizendo abertamente que Ele era o Messias.

Porém o tratamento que Jesus deu a São Pedro, dizendo-lhe: ‘Vai para longe de mim, Satanás’ (Mc 8,33b) deve ter espantado não só a São Pedro como a todos os outros discípulos.

O que esta mudança de atitude de Jesus e de São Pedro significa?

No caso de Jesus uma decepção a mais com a dureza de mente dos discípulos.

No caso de São Pedro, o convívio com Jesus por tanto tempo lhe deveria ter capacitado para ouvir uma predição tão terrível, como a da Paixão de Jesus. Se Jesus predizia sua Paixão, devia ser levado a sério e não considerado um homem imprudente.

Estes fatos nos mostram mais uma vez como Jesus teve que ser paciente com seus amigos, seus discípulos, como teve que ser muito paciente com seus inimigos, os sumos sacerdotes, os anciãos do povo, os fariseus e os escribas. Era uma pressão constante sobre Jesus. Ele precisava suportar tudo isto, e o fez com paciência até o fim.

Consideremos pessoas de grande responsabilidade na Igreja, como o Papa.

Muitas pressões de dentro da Igreja e de fora dela recaem sobre ele.

E todos esperam ou exigem que o Papa seja um homem de paciência comprovada.

Como nem para o Papa isto é fácil, nossa ajuda a ele deve ser feita por meio de nossas orações.

Não deixemos, portanto, de pedir a Deus pelos que governam a Igreja, o Papa, os bispos, todo o clero e leigos empenhados nas comunidades.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: