Liturgia do dia 14/02/2019

Leituras
Gn 2,18-25
Sl 127(128),1-2.3.4-5 (R/. cf. 1a)
Mc 7,24-30

5ª Semana do Tempo Comum

Quinta-Feira

Primeira Leitura: Gn 2,18-25

18 Javé Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só. Vou fazer-lhe um auxiliar que lhe convenha”. 19Javé Deus plasmou do solo todos os animais do campo e todas as aves do céu. Conduziu-os presença do homem, para ver que nome lhes daria:todo ser teria o nome que o homem lhe desse. 20E o homem deu nomes a todos os animais domésticos, às aves do céu e a todos os animais do campo. Para o homem, todavia, ele não achou um auxiliar que lhe conviesse. 21Então Javé Deus fez cair sobre o homem um sono profundo,e este adormeceu.Tirou-lhe uma costela e fechou de novo a carne em seu lugar. 22Da costela que tirou do homem, Javé Deus edificou uma mulher e a apresentou ao homem. 23O homem exclamou: “Desta vez, sim! É osso de meus ossos, e carne de minha carne! Esta se chamará Mulher, isto é, a humana, porque do homem foi tirada”. 24É por isso que o homem deixará pai e mãe,e se apegará à sua mulher, e serão uma só carne. 25Tanto o homem como a mulher estavam nus, mas não se envergonhavam.

 

Salmo:  Sl  127(128),1-2.3.4-5 (R/. cf. 1a)

R.: Feliz és tu que temes o Senhor e andas no seu caminho!

1 Feliz és tu que temes o Senhor e andas no seu caminho! 2Ganharão tuas mãos o pão que comes, e viverás feliz.

3Tua esposa é a parreira carregada no coração da casa. Brotam teus filhos como as oliveiras em torno à tua mesa.

4Eis com que bens será abençoado o que teme o Senhor! 5De Sião te abençoe, e possas ver Jerusalém feliz; vê-la feliz ao longo dos teus dias

 

Evangelho:Mc 7,24-30

24Jesus saiu então dali e foi para a região de Tiro. Entrou numa casa e não queria que ninguém soubesse, mas não pôde ficar ignorado. 25Pois logo certa mulher, cuja filha estava possessa de um espírito impuro, ouviu falar dele e foi prostrar-se a seus pés. 26Esta mulher era pagã, de origem siro-fenícia, e pedia que expulsasse o demônio de sua filha. 27 Jesus respondeu: “Deixa que os filhos se alimentem primeiro; porque não é justo tirar o pão das crianças e dar aos cachorrinhos”. 28 Mas ela respondeu assim: “É verdade, Senhor. Mas também os cachorrinhos, que ficam debaixo da mesa, comem as migalhas das crianças”. 29 Jesus então lhe disse: “Por causa desta resposta, vai para casa: O demônio já saiu da tua filha”. 30Ela foi para casa e encontrou a menina deitada na cama: o demônio, de fato, já tinha saído. 

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.



Boa Nova para cada dia

 

Entrou numa casa e não queria que ninguém soubesse onde Ele estava. Mas não conseguiu ficar escondido. (Mc 7,24cde).

Jesus tinha saído da Galileia, provavelmente, com a intenção de anunciar o Evangelho aos judeus que moravam na região de Tiro e Sidônia.

Um dia, não se sabe por qual motivo, Jesus sentiu necessidade de ficar sozinho, sem ser encontrado por ninguém. Provavelmente naquele local não havia judeus para que Jesus lhes anunciasse o Reino de Deus, mas pagãos. Somente mais tarde mandará aos pagãos seus discípulos, depois de Sua Ressurreição. O motivo pelo qual Jesus anunciava o Reino de Deus primeiro aos judeus era que eles estavam preparados pera entender a linguagem que Ele empregava, toda cheia de lembranças das Escrituras. E estas, somente os judeus conheciam.

Mas perguntamos: por qual motivo Jesus, de início, se recusou a atender àquela mulher pagã, cuja filha estava endemoniada? Ele mesmo respondeu: não fora à Tiro e Sidônia para evangelizar os pagãos, mas aos judeus de lá.

Ora, aquela mulher conhecia a fama de Jesus, fama que chegara a Tiro e Sidônia a partir da Galileia. É a este ponto que o Evangelho quer que cheguemos para entender como Jesus termina curando a menina doente. Isto é, o Evangelho quer nos dizer que a fama de Jesus tinha ultrapassado o território onde viviam só judeus. Até os pagãos ficaram sabendo que em Israel havia um homem de Deus que fazia milagres para curar doentes e fazer exorcismos.

Apesar de não atender ao primeiro pedido daquela mulher, Jesus se deixa comover pela resposta humilde que ela Lhe dá. Curando sua filha, Jesus estava ao mesmo tempo elogiando a humildade que também aquela pagã podia ter. De fato, depois que ela se compara a cachorrinhos debaixo da mesa das refeições, Jesus lhe diz: “Por causa do que acabas de dizer, podes voltar para tua casa. O demônio já saiu de tua filha” (Mc 7,29).

Nós nos admiramos com o poder de Jesus em curar uma pessoa sem estar perto dela. Ele pode curar à distância. Seu poder não tem fronteiras, assim como Deus está em todo lugar.

Qual lição este Evangelho nos dá?

Primeiro a atitude de humildade diante de Jesus quando lhe pedimos alguma coisa.

Segundo, a certeza de que em sua bondade Ele nos atende, mesmo que não o sintamos diante de nós. Na verdade, Ele habita em nosso coração. Aqui Ele não consegue ficar escondido.



Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: