Liturgia do dia 08/02/2019

Leituras
Hb 13,1-8
Sl 26(27),1.3.5.8b-9abc (R/. 1a)
Mc 6,14-29

4ª Semana do Tempo Comum

Sexta-Feira

Primeira Leitura: Hb 13,1-8

1 Continuai a  viver no amor fraterno. 2 Não esqueçais a hospitalidade; alguns a praticaram, tendo a sorte de, sem o saberem, acolher anjos. 3 Lembrai-vos dos presos, como se vós mesmos estivésseis na cadeia com eles, e também dos que são maltratados, como se vós mesmos estivésseis sofrendo com eles. 4 Que o casamento seja respeitado por todos; e o leito conjugal conservado sem mancha. Porque Deus julgará os que se entregam à prostituição ou cometem adultério. 5 O vosso comportamento não seja dominado pela ganância do dinheiro, contentando-vos com o que agora tendes. Porque Deus disse: Não te deixarei nem te abandonarei. 6 Assim é que ousamos dizer com confiança:  O Senhor é meu auxilio, nada temerei.  Que mal alguém me poderá fazer?  7 Lembrai-vos de vossos guias, que vos pregaram a palavra de Deus. Considerai atentamente o êxito do seu teor de vida e imitai-lhes a fé. 8 Jesus Cristo é sempre o mesmo, ontem, hoje e eternamente. 



Salmo:  Sl 26(27),1.3.5.8b-9abc (R/. 1a)

R.:  Só Deus é minha luz e salvação:

1 Só Deus é minha luz e salvação:  de quem teria medo?  É ele a proteção da minha vida;  quem me fará tremer?

3 Se um exército erguer-se contra mim,  não terei medo algum;  se contra mim travar-se uma batalha,  ainda assim confio. 

5 Ele me esconderá sob o seu teto  no dia da desgraça;  dentro da sua tenda há de ocultar-me,  no rochedo mais alto.

8b Tua face procuro. 9 Não afastes irado este teu servo,  não me escondas teu rosto!  Meu salvador e auxílio, não me deixes.

 

Evangelho: Mc 6,14-29

14 Entretanto, o rei Herodes ouviu falar a respeito de Jesus, pois seu nome tinha ficado famoso, e uns diziam: “João Batista ressuscitou dos mortos, e é por isso que o poder dos milagres está sendo exercido por ele”. 15 Mas outros diziam: “É Elias”. Outros ainda: “É um profeta, igual aos antigos profetas”. 16 Herodes, tendo ouvido falar disso, dizia: “É João, a quem mandei degolar: é ele que ressuscitou”. 17 De fato, o próprio Herodes tinha mandado prender João e guardá-lo na prisão, por causa de Herodíades, esposa de seu irmão Filipe, que tinha tomado por mulher. 18 De fato, João tinha dito a Herodes: “Não te é permitido viver com a mulher do teu irmão”. 19 Por isso Herodíades o detestava e procurava matá-lo, mas não o conseguia, 20 porque Herodes respeitava a João, sabendo que era um homem justo e santo, e o protegia. Ficava perplexo com as coisas que ouvia falar a respeito dele. E até o escutava de boa vontade. 21 Até que o dia oportuno chegou, quando Herodes, por ocasião do seu aniversário de nascimento, deu um banquete aos grandes de sua corte, aos tribunos e aos nobres da Galileia. 22 A filha de Herodíades compareceu e dançou, agradando a Herodes e aos convidados. O rei disse, então, à moça: “Pede-me, e eu te darei o que quiseres”. 23 E jurou-lhe mais de uma vez: “Seja o que for aquilo que me pedires eu te darei, até mesmo a metade do meu reino!”. 24 Ela saiu e perguntou à mãe: “Que devo pedir?”. A resposta foi: “A cabeça de João Batista”. 25 Voltando depressa para junto do rei, ela apresentou seu pedido: “Quero que me dês, agora mesmo, num prato, a cabeça de João Batista!”. 26 O rei ficou muito triste, mas, por causa dos seus repetidos juramentos e dos convidados, não quis faltar à palavra. 27 E o rei ordenou logo a um guarda que trouxesse a cabeça de João. O guarda foi, e o degolou na prisão. 28 Depois trouxe a cabeça num prato e o entregou à moça, e esta a entregou à mãe. 29 Quando os discípulos de João souberam disso, foram buscar o seu corpo e o puseram num sepulcro. 

 

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.



Boa Nova para cada dia



… o rei Herodes ouviu falar de Jesus, cujo nome se tinha tornado muito conhecido.  (Mc 6,14ab).

Não imaginemos que a missão dos ‘doze’ não tenha surtido grande efeito no meio da população da Judéia e de outros lugares. O Evangelho de hoje nos mostra o próprio rei Herodes interrogando-se sobre a identidade de Jesus. Como ele soube sobre Jesus? Certamente de muitas pessoas, e estas, provavelmente, teriam ouvido aqueles ‘doze’ anunciando o Reino de Deus por ordem de Jesus. Se foi por ordem de Jesus, os ouvintes dos ‘doze’ queriam saber quem era o líder, o mestre deles. Foi assim que forçosamente ‘os doze’ também anunciaram Jesus.

Mas a função do Evangelho de hoje não é relatar um encontro entre Herodes e Jesus.

O Evangelho de hoje só traz a interrogação de Herodes sobre Jesus para introduzir o relato sobre a morte de João Batista.

Conhecemos o relato sobre a morte de João Batista em seus detalhes cuidadosamente reunidos pelo evangelista.

Na morte de João Batista vemos mais um motivo para que Jesus repreendesse os judeus de serem homicidas: eles matavam os profetas que Deus lhes enviava.

São dois pontos que mais nos impressionam neste Evangelho:

  1. A curiosidade de Herodes sobre Jesus e João Batista não o leva a concluir que estes homens foram enviados por Deus para um período novo da vida religiosa de Israel.
  2. O motivo banal da morte de João Batista, em forte contraste com sua importância religiosa e espiritual para a realização do Plano Salvador de Deus.

Herodes não chegou a compreender nem João Batista nem Jesus.

Mas nós, com o evangelista Marcos e toda a Igreja primitiva, as compreendemos.

Sabemos que também em nossos dias grandes homens de Deus são mal entendidos, maltratados e até mortos. Em todo o mundo isto acontece. É a Igreja sofredora porque cumpre a vontade de Deus com o heroísmo necessário em diferentes situações de nosso tempo. Tenhamos em mente estas pessoas e por elas peçamos a Deus com insistência: que o mal do mundo não prevaleça sobre os enviados pela Igreja de Jesus Cristo.



Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: