Liturgia do dia 08/01/2019

Leituras
1Jo 4,7-10
Sl 71(72),1-2.3-4ab.7-8 (R. 11)
Mc 6,34-44

08/01/2019

Terça-Feira


Primeira Leitura: 1Jo 4,7-10

7 Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. 8 Quem não ama não conheceu a Deus porque Deus é Amor. 9 É assim que o amor de Deus se manifestou a nós: Deus mandou seu Filho único ao mundo para que recebêssemos a vida por ele. 10 Nisto consiste o seu amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele quem nos amou e mandou seu Filho como expiação pelos nossos pecados.

Salmo: Sl 71(72),1-2.3-4ab.7-8 (R. 11)

R. Todos os reis da terra hão de adorá-lo, hão de servi-lo todas as nações.

1 Ó Deus, concede ao rei o teu poder; ao que é filho de rei, teu julgamento. 2 Que ele governe o povo com justiça, julgue com equidade os pequeninos!

3 Virá paz, das montanhas, para o povo; descerá das colinas a justiça! 4 Que ele defenda a causa dos humildes, liberte o pobre, esmague o explorador!

7 Que a justiça floresça em seu reinado, e enquanto dure a lua, a plena paz! 8 Que ele reine em um mar até o outro, do rio Eufrates aos confins da terra!

Evangelho: Mc 6,34-44

34 Quando Jesus saiu da barca, ele viu uma grande multidão e teve compaixão deles, porque eram como ovelhas sem pastor e começou a instruí-los longamente. 35 Já tinha chegado o fim da tarde, quando os discípulos chegaram perto de Jesus para lhe dizer: “Este lugar é isolado e já é muito tarde. 36 Manda-os embora para que possam ir aos lugares e povoados da redondeza comprar o que comer”. 37 Mas ele respondeu: “Dai vós mesmos de comer a eles”. Perguntaram-lhe, então: “Por acaso devemos ir comprar pães com uma quantia enorme, para dar lhes de comer?”. 38 Jesus respondeu: “Quantos pães tendes? Ide verificar”. E, tendo-se informado, lhe disseram: “Cinco pães e dois peixes”. 39 Ele lhes ordenou que os acomodassem a todos, em grupos, sobre a relva. 40 E se sentaram no chão, em grupos de cem ou de cinquenta. 41 Tomou os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos aos céus, recitou a fórmula da bênção, partiu os pães e os entregava aos seus discípulos, para que os distribuíssem. Repartiu também os dois peixes entre todos. 42 Todos comeram e ficaram satisfeitos. 43 E recolheram ainda doze cestos, cheios de pedaços de pão e de restos dos peixes. 44 Ora, os que comeram dos pães eram cinco mil homens.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2018 – Ano B – São Marcos, Brasília, Edições CNBB, 2017.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

Boa Nova para cada dia

Jesus viu uma numerosa multidão
e teve compaixão,
porque eram como ovelhas sem pastor.
Começou, pois, a explicar-lhes muitas coisas
(Mc 6,34).

A Luz que brilhou nas trevas em que vivia o povo de Zabulon e Neftali é Jesus.
O Evangelho de São Marcos nos mostra Jesus iluminando o Povo de Deus com Sua Luz, isto é, com seus ensinos em primeiro lugar, como nos diz Mc 6,34.

Notemos como Jesus entende como o Povo de Deus, representado pela multidão que o seguia naquele dia, estava como que abandonado por seus líderes religiosos: eram como que ovelhas sem pastor. Podemos perguntar: o que acontecia com a religião do Povo de Deus naquela época? O que faziam os sumos sacerdotes, os anciãos do povo, os escribas e fariseus? Parece que eram omissos em seus deveres de líderes. Isto nos diz muito do que vai acontecer mais tarde, porque Jesus condenará estes líderes e será morto por eles.

Mas devemos nos deter no milagre da multiplicação dos cinco pães e dois peixes (Mc 6,38).
É este o milagre que mostrou como Jesus tinha poder como Deus para fazer uma coisa que vai além das leis naturais. As pessoas que presenciaram o milagre constataram como Jesus tinha o poder de alimentar cinco mil homens multiplicando cinco pães dois peixes.

São Mateus nos deixa nesta admiração com a multidão.
Contemplemos, portanto, o imenso poder que Jesus recebe de Deus para fazer milagres destas proporções.

Entendamos também que Jesus não fez este milagre somente para mostrar seu poder. Ele o fez para mostrar ao povo ali presente que Ele era o Pastor de Israel, pois aquele povo era como ovelhas abandonadas por seus orientadores espirituais. Os líderes de Jerusalém não tinham poder como o de Jesus. Eles não cuidavam do Povo de Deus. Eles, consequentemente, estavam desqualificados e em breve Deus os abandonaria.

Meditemos sobre estas coisas para entendermos a missão de Jesus desde seu início.
E nos adiantemos já para entender que esta Luz, que veio ao mundo, os líderes religiosos de Jerusalém pretenderão apagar, matando-A. No entanto, da morte de Jesus virá sua Ressurreição, e, então, sua Luz brilhará para sempre.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: