Liturgia do dia 07/01/2019

Leituras
1Jo 3,22-4,6
Sl 2,7-8.10-11 (R/. 8a)
Mt 4,12-17.23-25

Tempo do Natal

Segunda-Feira


Primeira Leitura: 1Jo 3,22-4,6

22 e tudo que pedirmos receberemos dele porque cumprimos seus mandamentos e fazemos o que é agradável aos seus olhos. 23 Seu mandamento é que creiamos no nome do seu Filho, Jesus Cristo, e nos amemos mutuamente, conforme o mandamento que ele nos deu. 24 Aquele que pratica seus mandamentos permanece em Deus e Deus nele; e por isso sabemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu. 4 1 Caríssimos, não acrediteis em qualquer pessoa, mas examinai os que se apresentam, para ver se são de Deus, porque muitos falsos profetas têm vindo a este mundo. 2 Podeis reconhecer assim o Espírito de Deus: quem confessar que Jesus Cristo se encarnou é de Deus. 3 Quem não aceitar Jesus, esse não é de Deus, mas do anticristo. Ouvistes falar que ele iria chegar. Pois bem: já se encontra no mundo. 4 Filhinhos, vós sois de Deus e os vencestes, porque aquele que está em vós é maior que aquele que está no mundo. 5 Eles são do mundo. Por isso falam do mundo, e o mundo os ouve. 6 Nós somos de Deus. Quem conhece a Deus nos ouve. Quem não é de Deus não nos ouve. Assim nós conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.

Salmo: Sl 2,7-8.10-11 (R/. 8a)

R. Pede-me, e dou-te as nações.

7 Eis do Senhor o decreto: ele me disse: “És meu filho, foi hoje que eu te gerei! 8 Pede-me, e dou-te as nações, a terra toda por reino.
10 Prudência agora, juízes; ó reis da terra, aprendei! 11 Servi a Deus com temor, os pés beijai-lhe, tremendo.

Evangelho: Mt 4,12-17.23-25

12 Tendo Jesus ouvido falar que João tinha sido preso, retirou-se para a Galileia. 13 Mas, abandonando Nazaré, foi morar em Cafarnaum, à beira do lago, nos territórios de Zabulon e Neftali. 14 Fez isto para que se cumprisse o que havia sido dito pelo profeta Isaías: 15 Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar, região da Transjordânia, Galileia das Nações! 16 O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz; ela surgiu para os que jaziam na sombria mansão da morte. 17 Desde então começou Jesus a proclamar: “Convertei-vos, porque o reino dos céus já está perto”. 23 Jesus circulava por toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, proclamando a Boa-Nova do Reino, e curando toda espécie de doença e enfermidade que havia no povo. 24 Sua fama se espalhou pela Síria inteira, e por isso traziam-lhe todos os que sofriam várias doenças e incômodos, possessos do demônio, lunáticos, paralíticos. E ele os curava. 25 E grandes multidões da Galileia, da Decápole, de Jerusalém, do resto da Judeia e da Transjordânia começaram a segui-lo.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2018 – Ano B – São Marcos, Brasília, Edições CNBB, 2017.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

Boa Nova para cada dia

O povo que vivia nas trevas viu uma grande Luz (Mt 4,16a).

Este Evangelho nos mostra o fim da carreira de São João Batista, porque é preso por Herodes Antipas, e a decisão de Jesus de iniciar a pregação do Reino dos Céus. É o fim de uma carreira e início de outra.

O Evangelho quer nos mostrar a importância do início da pregação de Jesus.
Para isto São Mateus mostra que este início da missão de Jesus fora profetizada por Isaías. Em Is 8,23-91 está dito que o Povo que vivia nas trevas nas terras de Zabulon e Neftali viu uma grande luz.

Que trevas são estas? São o sofrimento do Povo de Deus dominado pelo império assírio que naquele tempo avançava sempre mais, apropriando-se aos poucos dos territórios do antigo Reino do Norte de Israel.

Que luz era aquela? Era o nascimento de um menino da dinastia de Davi em Judá, provavelmente o filho do Rei Acaz, o futuro rei Ezequias. Era luz, porque a entronização de um rei naqueles tempos era vista como o brilho do nascer do sol. O próprio rei era comparado com o sol.
E isto é o que nos interessa nesta profecia evocada neste Evangelho por São Mateus?
Qual é esta luz mencionada por São Mateus?
A resposta é evidente: é Jesus que dá início a sua pregação do Reino de Deus. É o que São Mateus diz em Mt 4,17.
Tendo começado a pregação do Reino de Deus, Jesus precisa de ajudantes.
Os ajudantes de Jesus são seus discípulos, a começar de Simão Pedro e André (Mt 4,18), e dos filhos de Zebedeu, João e Tiago (Mt 4,21).
Jesus também vai elaborar um plano de viagens missionárias:
– vai percorrer a Galileia pregando em suas sinagogas e curando todos os tipos de enfermidades (Mt 4,23). Estes milagres de Jesus logo difundem sua fama, que vai primeiro até a Síria (Mt 4,24). E depois vai mais além: à Decápole, a Jerusalém, à Judéia e toda a região além do Rio Jordão (Mt 4,25).

É interessante como o Evangelho de São Mateus nos apresenta este início da pregação de Jesus como um plano bem elaborado. Jesus não descuidou de nada.
E foi assim que sua missão começa com grande sucesso por todos os lugares.
Ele somente terá problemas, pouco depois, com os líderes religiosos de Jerusalém.

Consideremos a alegria de Jesus nestes inícios de sua carreira como Salvador e Messias do Povo Eleito de Deus.
Imaginemos também a lenta descoberta que o Povo de Deus vai fazendo do Messias prometido séculos atrás pelos profetas.

Que estes pensamentos nos dominem neste tempo litúrgico marcado pela alegria do Natal.
Descubramos, mais uma vez, o que Jesus Cristo significa para nós, a cada ano que passa. Nós crescemos no seu conhecimento e na nossa adesão a Ele.
Ele é a Luz que veio ao mundo de trevas.
Ele é a Luz que ilumina o mundo.
Meditemos nisto, e nos deixemos dominar pela alegria que estes pensamentos provocam em nós.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos: