Liturgia do dia 08/11/2018

Leituras
Fl 3,3-8a
Sl 104(105),2-3.4-5.6-7 (R/. 3b)
Lc 15,1-10

31ª Semana do Tempo Comum

Quinta-Feira

Primeira Leitura: Fl 3,3-8a

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses

Irmãos:3 Os circuncisos somos nós, que em espírito prestamos culto a Deus, que colocamos nossa glória em Cristo Jesus e não depositamos a confiança em nossa condição meramente legal. 4 Bem que eu poderia me apoiar na minha condição meramente legal! Com efeito, se alguém pode depositar sua confiança em tal condição, eu posso muito mais! 5 Fui circuncidado no oitavo dia. Sou da raça de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu descendente de hebreus. Fui fariseu quanto à lei, 6 levado pelo ciúme da lei, um perseguidor da Igreja e, no que toca à justiça da lei, sempre irrepreensível. 7 Mas essas que eram vantagens para mim, as considero desvantagens por causa de Cristo. 8 Sim, considero tudo isso uma perda em comparação com a sublime vantagem de conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor.

Salmo: Sl 104(105),2-3.4-5.6-7 (R/. 3b)

R. Exulte o coração dos que buscam o Senhor!

2 Cantai a Deus, tocai em sua honra; dizei de novo as suas maravilhas. 3 Pelo seu santo nome gloriai-vos, exulte o coração que busca a Deus!

4 Procurai o Senhor e sua força, buscai constantemente a sua face. 5 Lembrai as maravilhas que operou, seus feitos e as palavras de seus lábios.

6 Ó raça de Abraão, seu servidor, ó filhos de Jacó; seu predileto, 7 eis que o próprio Senhor é o nosso Deus, vigoram suas leis por toda a terra.

Evangelho: Lc 15,1-10

Naquele tempo: 1 todos os cobradores de impostos e outros pecadores se aproximavam de Jesus para o ouvir. 2 Os fariseus e os escribas murmuravam: “Este homem acolhe bem as pessoas de má vida e come com elas!”.3 Jesus lhes respondeu com esta parábola: 4 “Quem de vós, possuindo cem ovelhas, no caso de perder uma, não deixaria as noventa e nove no deserto para buscar a que se tinha perdido até achá-la? 5 E, quando a encontrasse, não a colocaria nos ombros, alegre, 6 e voltando para casa, não reuniria amigos e vizinhos, dizendo: ‘Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se tinha perdido’? 7 Eu também vos digo: ‘Assim é que haverá maior alegria no céu por um pecador que se converter do que por noventa e nove justos que não precisarem de conversão!’. 8 Ou qual é a mulher que tem dez moedas e, perdendo uma, não acende a lâmpada e varre a casa e a procura atentamente até achá-la? 9 E, depois de achá-la, não reúne as amigas e vizinhas, dizendo: ‘Alegrai-vos comigo, porque achei a moeda que tinha perdido’? 10 É por isso que vos digo: assim é que haverá alegria entre os anjos de Deus por um só pecador que se converter”.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2018 – Ano B – São Marcos, Brasília, Edições CNBB, 2017.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola e Editora Santuário, 2016.

Boa Nova para cada dia

“Quando a encontra, coloca-a nos ombros com alegria” (Lc 15,5).

Neste Evangelho Jesus conta as duas parábolas para explicar com Deus se preocupa por todos os pecadores, desejando alegrar-se com sua conversão. São as parábolas da ovelha e da moeda que, perdidas, são encontradas.

Vamos refletir sobre alguns detalhes destas parábolas tal como contadas por Jesus.

Notemos que Ele prefere comparações extremamente fáceis. Qualquer pessoa, mesmo a de pouca instrução, consegue tirar as conclusões evidentes.

Jesus gosta de usar comparações relativas a pastores e ovelhas.

Na primeira parábola o pastor que tinha cem ovelhas não se conforma com a perda nem mesmo de uma só.

Vejamos, imediatamente aqui, a preocupação de Deus que tem tantos filhos e filhas fiéis, mas se incomoda pela perda de um só filho. Ele quase se esquece dos noventa e nove. Preocupa-se com o filho pecador. Enquanto não o recupera de volta para Si, não sente paz.

Imaginemos a ‘falta de paz’ divina, se podemos dizer assim.

Imaginemos Deus ‘preocupado’. 

Por quais motivos Deus se comporta deste modo? 

Somente seu amor por suas criaturas justifica este agir divino. 

Isto confirma o que meditamos em Jr 31,3 sobre o amor de Deus por nós

… com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí. (Jr 31,3). 

A benignidade de Deus se mostra por meio de sua ternura em seu tratamento com os pecadores.

Jesus mostra esta ternura de Deus na imagem do pastor, que tendo encontrado a ovelha perdida, a põe sobre os ombros e a leva alegre de volta para seu rebanho, não antes de dar a notícia feliz aos amigos e vizinhos:

“Alegrem-se comigo! Encontrei a minha ovelha que estava perdida!” (Lc 14,6cd).

Por fim Jesus termina a parábola dizendo: “Assim haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão” (Lc 14,7bcd).

Este cuidado de Jesus em nos contar esta parábola deve ser observado atentamente.

Ele quer que saibamos que nós, os pecadores, temos a predileção de Deus. 

Por que Deus não tem predileção pelos justos? 

Notemos que esta pergunta está errada, porque isto não é a verdade. 

Os que já são justos um dia foram pecadores e por eles Deus já está na eterna alegria celeste, desde que eles não voltem ao pecado. E se voltarem, a mesma atenção amorosa de Deus por aqueles que um dia foram justos, vai-se revelar. Deus fará tudo para recuperar qualquer pecador que Dele se distanciou.

Vejamos em nós mesmos os pecadores antes e depois da conversão, mesmo assim objetos do amor de Deus.

Vejamos também como o mandamento de amar a Deus é o que nos move a nos deixar amar por Ele.

Assim nos converteremos. E por nossa causa, no céu Deus Pai e seus anjos festejarão nosso retorno.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.


Siga-nos:                  
Facebook
Facebook
YouTube
Instagram
Loja Virtual